sicnot

Perfil

Mundo

Juíza diz que violação faz parte da cultura negra e causa tempestade nas redes sociais

Uma juíza sul-africana está a ser "atacada" nas redes sociais após ter feito comentários no Facebook nos quais sugere que a violação faz parte da cultura negra.

"Na cultura deles, a mulher está lá para o prazer. Ponto. Isso é visto como direito absoluto, e o consentimento da mulher não é necessário", escreveu Mabel Jansen na sua conta no Facebook, numa conversa com a produtora cinematográfica Gillian Schutte. Noutra publicação, acrescentou que "os assassínios não são tão graves" para os homens negros.

"Ainda estou para conhecer uma menina negra que não tenha sido violada aos 12 anos. Falo a sério", escreveu ainda.

Os comentários já foram feitos há cerca de um ano, mas a polémica ressurgiu esta semana após um post da produtora Schutte.

Mabel Jansen justifica-se, dizendo que as suas declarações foram tiradas de contexto e que ase referia a casos específicos.

O caso gerou uma tempestade nas redes sociais e já circula uma petição para retirar a juíza da magistratura.

Também os principais partidos políticos já criticaram os comentários. O Partido da Aliança Democrática, da oposição, anunciou que vai levar o caso à Comissão dos Serviços Juciciais da África do Sul.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Eis os novos heróis de Vila de Aves
    3:03
  • Desportivo das Aves fora da Liga Europa

    Desporto

    O Desportivo das Aves não vai à Liga Europa e o Sporting terá entrada direta na fase de grupos. Apesar da conquista da Taça de Portugal, a equipa avense não se licenciou em tempo útil para poder participar na prova da UEFA, apurou a SIC.

  • E agora, Sporting? Semana de decisões e incertezas
    2:53
  • "Para primeiro dia de pesca da sardinha, não foi mau"
    2:19
  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29

    País

    José Sócrates garantiu este domingo que não atacará o PS e que continua a ser socialista. O antigo primeiro-ministro participou num almoço de apoio, em Lisboa, com cerca de 100 pessoas, a maioria anónimos.