sicnot

Perfil

Mundo

Juíza diz que violação faz parte da cultura negra e causa tempestade nas redes sociais

Uma juíza sul-africana está a ser "atacada" nas redes sociais após ter feito comentários no Facebook nos quais sugere que a violação faz parte da cultura negra.

"Na cultura deles, a mulher está lá para o prazer. Ponto. Isso é visto como direito absoluto, e o consentimento da mulher não é necessário", escreveu Mabel Jansen na sua conta no Facebook, numa conversa com a produtora cinematográfica Gillian Schutte. Noutra publicação, acrescentou que "os assassínios não são tão graves" para os homens negros.

"Ainda estou para conhecer uma menina negra que não tenha sido violada aos 12 anos. Falo a sério", escreveu ainda.

Os comentários já foram feitos há cerca de um ano, mas a polémica ressurgiu esta semana após um post da produtora Schutte.

Mabel Jansen justifica-se, dizendo que as suas declarações foram tiradas de contexto e que ase referia a casos específicos.

O caso gerou uma tempestade nas redes sociais e já circula uma petição para retirar a juíza da magistratura.

Também os principais partidos políticos já criticaram os comentários. O Partido da Aliança Democrática, da oposição, anunciou que vai levar o caso à Comissão dos Serviços Juciciais da África do Sul.

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.