sicnot

Perfil

Mundo

Sete adolescentes indonésios condenados por violação em grupo e homicídio

Sete adolescentes indonésios, com 16 e 17 anos, foram hoje condenados a 10 anos de prisão cada pela violação em grupo e homicídio de uma rapariga de 14 anos que provocou um debate nacional sobre a violência sexual.

© Benoit Tessier / Reuters

O crime aconteceu em abril, tendo a estudante sido atacada quando se dirigia para casa numa pequena aldeia na ilha de Sumatra.

O corpo maltratado da rapariga foi encontrado na floresta três dias depois do seu desaparecimento e foram detidas 12 pessoas.

Eko Hening Wardhono, do gabinete do procurador-geral, disse que a pena atribuída aos sete adolescentes "está de acordo" com o pedido da acusação, adiantando que a polícia está ainda a investigar os restantes cinco detidos.

Dois outros suspeitos continuam a ser procurados.

O crime chamou a atenção do país devido à divulgação nas redes sociais e dezenas de milhares assinaram petições 'on line'.

O caso levou ativistas a pedirem penas mais duras para os agressores sexuais e desencadeou protestos na capital da Indonésia, Jacarta. O presidente Joko Widodo apelou para uma melhor proteção das mulheres.

  • Segurança da Academia de Alcochete avisado 10 minutos antes do ataque
    1:57
  • "Não acho que seja prudente" o regresso dos atletas à Academia do Sporting
    5:49

    Crise no Sporting

    As agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting, na Academia de Alcochete, foram o tema de uma entrevista a Ana Bispo Ramires, psicologa do desporto. Questionada sobre se os jogadores deveriam regressar ou não à academia, Ana Bispo Ramires diz que não devem fazê-lo e explica que é importante que haja medidas de atuação, o mais rápido possível, para que os atletas e restante equipa técnica do clube possam reprocessar, do ponto de vista cognitivo, as ameaças que sofreram. 

  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC