sicnot

Perfil

Mundo

Sete adolescentes indonésios condenados por violação em grupo e homicídio

Sete adolescentes indonésios, com 16 e 17 anos, foram hoje condenados a 10 anos de prisão cada pela violação em grupo e homicídio de uma rapariga de 14 anos que provocou um debate nacional sobre a violência sexual.

© Benoit Tessier / Reuters

O crime aconteceu em abril, tendo a estudante sido atacada quando se dirigia para casa numa pequena aldeia na ilha de Sumatra.

O corpo maltratado da rapariga foi encontrado na floresta três dias depois do seu desaparecimento e foram detidas 12 pessoas.

Eko Hening Wardhono, do gabinete do procurador-geral, disse que a pena atribuída aos sete adolescentes "está de acordo" com o pedido da acusação, adiantando que a polícia está ainda a investigar os restantes cinco detidos.

Dois outros suspeitos continuam a ser procurados.

O crime chamou a atenção do país devido à divulgação nas redes sociais e dezenas de milhares assinaram petições 'on line'.

O caso levou ativistas a pedirem penas mais duras para os agressores sexuais e desencadeou protestos na capital da Indonésia, Jacarta. O presidente Joko Widodo apelou para uma melhor proteção das mulheres.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC