sicnot

Perfil

Mundo

Antiga cidade maia "descoberta" por adolescente afinal não existe

A descoberta de uma antiga cidade maia por um adolescente canadiano através de imagens de satélite é, afinal, um engano. Segundo a análise de vários especialistas, aquilo que pareciam estruturas feitas pelo Homem poderão ser, afinal, um campo abandonado e um lago seco.

Canada Space Agency

William Gadoury, de 15 anos, desenvolveu o seu interesse pela arqueologia depois da publicação do calendário Maia anunciando o fim da civilização, em 2012. Horas e horas depois de analisar 22 constelações, Gadoury reparou que correspondiam às localizações de 117 cidades maias localizadas no México, na Guatemala, Honduras e El Salvador. Na 23ª constelação, fez corresponder duas estrelas a duas cidades conhecidas. Com a ajuda da Agência Espacial Canadiana, que disponibilizou imagens de satélite, Gadoury anunciou ter descoberto uma antiga cidade maia, na selva do Lucatão.

Vários especialistas vêm, no entanto, refutar esta teoria. De acordo com o arqueólogo Ivan Sprajc, citado pela Wired, as imagens serão muito provavelmente de um campo abandonado e de um lago seco. Anthony Aveni, especialista em arqueoastronomia, explica por outro lado que as constelações mapeadas pelos maias não correspondem às dos mapas atuais.

David Stuart, arqueólogo especialista na civilização maia, diz mesmo que a descoberta "é falsa".

"É tudo uma confusão - um exemplo terrível de má ciência a invadir a Internet. Os antigos maias não construíam as cidades de acordo com as constelações. O que foi encontrado no Google Earth é de facto feito pelo Homem, mas é um campo de milho", diz o professor de Arte Meso-americana na Universidade do Texas.

Stuart aplaude o adolescente, "inteligente e entusiasta da Arquologia e dos Maias", mas critica os especialistas que publicitara, a descoberta, classificando-os de irresponsáveis.

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.