sicnot

Perfil

Mundo

Antiga cidade maia "descoberta" por adolescente afinal não existe

A descoberta de uma antiga cidade maia por um adolescente canadiano através de imagens de satélite é, afinal, um engano. Segundo a análise de vários especialistas, aquilo que pareciam estruturas feitas pelo Homem poderão ser, afinal, um campo abandonado e um lago seco.

Canada Space Agency

William Gadoury, de 15 anos, desenvolveu o seu interesse pela arqueologia depois da publicação do calendário Maia anunciando o fim da civilização, em 2012. Horas e horas depois de analisar 22 constelações, Gadoury reparou que correspondiam às localizações de 117 cidades maias localizadas no México, na Guatemala, Honduras e El Salvador. Na 23ª constelação, fez corresponder duas estrelas a duas cidades conhecidas. Com a ajuda da Agência Espacial Canadiana, que disponibilizou imagens de satélite, Gadoury anunciou ter descoberto uma antiga cidade maia, na selva do Lucatão.

Vários especialistas vêm, no entanto, refutar esta teoria. De acordo com o arqueólogo Ivan Sprajc, citado pela Wired, as imagens serão muito provavelmente de um campo abandonado e de um lago seco. Anthony Aveni, especialista em arqueoastronomia, explica por outro lado que as constelações mapeadas pelos maias não correspondem às dos mapas atuais.

David Stuart, arqueólogo especialista na civilização maia, diz mesmo que a descoberta "é falsa".

"É tudo uma confusão - um exemplo terrível de má ciência a invadir a Internet. Os antigos maias não construíam as cidades de acordo com as constelações. O que foi encontrado no Google Earth é de facto feito pelo Homem, mas é um campo de milho", diz o professor de Arte Meso-americana na Universidade do Texas.

Stuart aplaude o adolescente, "inteligente e entusiasta da Arquologia e dos Maias", mas critica os especialistas que publicitara, a descoberta, classificando-os de irresponsáveis.