sicnot

Perfil

Mundo

Atentado em Bagdade faz pelo menos 64 mortos e 82 feridos

O novo balanço oficial provisório das vítimas do atentado hoje em Bagdade indica que morreram 64 pessoas e 82 ficaram feridas, avançou a agência France Presse. De acordo com a norte-americana CNN, o atentado foi reivindicado pelo Daesh.

(Arquivo)

(Arquivo)

A explosão de um camião armadilhado atingiu às 07:00 (hora de Lisboa) um mercado no bairro xiita de Sadr City, no norte da capital iraquiana, tendo provocado também grandes danos materiais.

De acordo com a polícia iraquiana, é possível que o número de mortos venha a aumentar, nas próximas horas, já que se verifica um elevado número de feridos graves.

Neste momento, segundo a agência noticiosa espanhola Efe, as forças de segurança cercam o local do atentado e procedem ao transporte dos feridos para vários hospitais da cidade.

O atentado de hoje ainda não foi reivindicado.

Em fevereiro passado, 55 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas na sequência de um duplo atentado suicida no bairro de Sadr City e cuja autoria foi assumida pelo grupo extremista Daesh.

Com Lusa/Última atualização às 14:34

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".