sicnot

Perfil

Mundo

Dono de restaurante acusado de matar cliente com caril

O proprietário de um restaurante indiano no Reino Unido é acusado da morte de um cliente devido a um prato com caril. O cliente era alérgico a amendoim e morreu devido a uma reação anafilática.

Arquivo Reuters

Paul Wilson, 38 anos, tinha uma severa alergia ao amendoim. Comprou uma refeição takeaway no restaurante The Indian Garden em Easingwold, no Reino Unido, cuja tampa da embalagem dizia expressamente "sem frutos secos".O homem acabou por morrer com uma reação anafilática.

Após a sua morte, investigadores compraram uma refeição no mesmo takeaway e descobriram doses potencialmente letais de amendoim.

"Uma análise ao caril recuperado do prato da cozinha da casa de Paul Wilson demonstrou que o amendoim o matou. Menos de três gramas do molho de caril teriam sido suficientes para aumentar o nível de amendoim no estômago. Não há dúvida de que o caril que Wilson comeu - cuja tampa tinha a legenda 'sem frutos secos' - tinha amendoins, e estes amendoins causaram a sua morte devido a uma reação alérgica", declarou o procurador do Ministério Público Richard Wright.

De acordo com a acusação, o proprietário do restaurante The Indian Garden tinha substituído amêndoa em pó por uma mistura de frutos secos mais barata, para conter os custos do estabelecimento.

Mesmo depois da morte de Wilson, sustenta a acusação, o restaurante continuou a servir refeições com amendoim, assegurando aos clientes serem "sem frutos secos", aptas a pessoas com alergia aos mesmos.

O proprietário do restaurante, Mohammed Zaman, 53 anos. estaria desesperadamente a tentar cortar os custos. Em 2013, terá contacto um dos seus fornecedores solicitando a substituição de amêndoa em pó por frutos secos em pó, a metade do preço.

Zaman declarou-se, porém, inocente de falsear a descrição dos infredientes das refeições e de violar as regulamentações da União Europeia sobre segurança alimentar. O julgamento deverá ainda durar algumas semanas.

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55

    Football Leaks

    Com o escândalo dos agentes de futebol a dar que falar, o Expresso revela este sábado os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa. O nome da empresa de que é administrador, a Energy Soccer, surge na investigação em transferências de jogadores que envolvem o Futebol Clube do Porto num conflito de interesses.

  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10