sicnot

Perfil

Mundo

Meteoritos com 2.700 milhões de anos revelam segredos da antiga atmosfera da Terra

Os micrometeoritos fósseis mais antigos permitiram aos cientistas descobrir as propriedades da atmosfera da Terra há 2.700 milhões de anos, de acordo com um estudo publicado hoje na revista Nature.

Jeffrey Phelps

A composição destes restos de poeira estelar, com diâmetros compreendidos entre 8,6 e 50 micrometros, que parecem ter sido submetidos a um processo de oxidação, sugere que as camadas superiores da atmosfera eram ricas em oxigénio.

Os cientistas acreditam que as camadas mais baixas da atmosfera durante o éon Arqueano (entre 4.000 e 2.500 milhões de anos atrás) continham baixos níveis de oxigénio - menos do que 0,001% da concentração atual -, mas até agora não havia qualquer método para estudar as camadas mais elevadas.

O Geólogo Andrew Tomkins e a sua equipa da Universidade de Monash, na Austrália, recolheram e examinaram 60 micrometeoritos fósseis de calcário sedimentar na região australiana Pilbara, no noroeste do país.

Estes micrometeoritos são pequenas partículas de material cósmico que derreteu completamente através da atmosfera a uma altura de entre 75 e 90 quilómetros.

A análise química dos micrometeoritos sugere que as concentrações de oxigénio naquelas camadas atmosféricas devem ser semelhantes às encontradas na troposfera corrente.

"Graças ao uso de microscópios de alta precisão, descobrimos que a maioria destes micrometeoritos foram partículas metálicas de ferro - composição comum em meteoritos que se tornaram minerais de óxido de ferro," disse Tomkins na sua Universidade.

"Isso indica que os níveis de oxigénio eram mais elevados do que o esperado. Foi um resultado emocionante, porque é a primeira vez que alguém encontra um método para estudar a composição da atmosfera antiga da Terra", acrescentou.

Num artigo que acompanha o artigo da Nature, os especialistas Kevin Zahnle, da divisão de ciência espacial da NASA, e Roger Buick, astro-biólogo na Universidade de Washington, afirmam que a descoberta de Tomkins e da sua equipa é "surpreendente" para a comunidade científica.

Os cientistas independentes argumentam que a teoria da falta de oxigénio na era primordial da Terra (anoxia) estava, até agora, assente em "argumentos fortes".

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.