sicnot

Perfil

Mundo

Novo presidente da câmara de Londres afirma que não é um líder muçulmano

O novo presidente da câmara de Londres, o trabalhista Sadiq Khan, afirmou hoje que "não é um líder muçulmano ou um porta-voz dos muçulmanos", mas sim o representante de todos os londrinos.

© Hannah Mckay / Reuters

Sadiq Khan, filho de imigrantes paquistaneses, foi eleito na semana passada e entrou na história ao ser o primeiro muçulmano a presidir à câmara de uma grande capital ocidental.

"Vamos ser muito claros. Não sou um líder muçulmano ou um porta-voz dos muçulmanos. Sou o presidente da câmara de Londres. Falo por todos os londrinos", disse o político do Partido Trabalhista britânico (oposição) de 45 anos, numa conferência de imprensa hoje realizada na capital britânica.

Sadiq Khan acrescentou, no entanto, que a sua eleição provou "que é possível ser muçulmano e um ocidental".

"Os valores ocidentais são compatíveis com o Islão", reforçou.

Os últimos dados do recenseamento geral mostraram que 12,4% dos londrinos são muçulmanos, 48,4% são cristãos, 1,8% são judeus e 20,7% não têm credo religioso.

O novo autarca londrino reiterou as críticas contra o provável candidato presidencial republicano Donald Trump, que propôs proibir o acesso de muçulmanos aos Estados Unidos.

O político afirmou que o multibilionário é "um desconhecedor do Islão" e que está a alinhar com os extremistas.

Ainda sobre as eleições presidenciais norte-americanas, Sadiq Khan admitiu similaridades com Hillary Clinton, a candidata mais votada para a nomeação presidencial do Partido Democrata, afirmando que "não poderia imaginar uma melhor líder" para os Estados Unidos.

Comentando o referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia (UE), agendado para 23 de junho, o autarca trabalhista afirmou que será "crucial para Londres permanecer na UE", indicando que "meio milhão de empregos estão diretamente dependentes" da ligação ao bloco europeu.

"É o assunto mais importante para a cidade nas próximas semanas", disse Sadiq Khan, que fará campanha pela manutenção britânica na UE, incluindo com o primeiro-ministro britânico, o conservador David Cameron, "porque [o assunto] é mais importante que os partidos políticos".

Sadiq Khan, que anunciou a intenção de trabalhar com "os presidentes de câmara a nível mundial", revelou que a autarca de Paris, a socialista Anne Hidalgo, gracejou durante um encontro na terça-feira que em caso da saída britânica da UE (processo conhecido como 'Brexit') iria "estender o tapete vermelho para receber as empresas londrinas" na capital francesa.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.