sicnot

Perfil

Mundo

Vida em El Salvador pode estar em risco em 80 anos devido à falta de água

A vida em El Salvador poderá ser inviável daqui a 80 anos devido à crise hídrica, que recentemente levou o governo a declarar o estado de emergência nacional, conclui um estudo realizado pelo Instituto de Defesa dos Direitos Humanos (PDDH) divulgado esta quarta-feira.

Reuters

Reuters

REUTERS

"De acordo com as análises científicas realizadas por diferentes organizações internacionais analisadas neste estudo, se seguirmos esta lógica de deterioração e degradação dos ativos de água em El Salvador, em 80 anos a vida será inviável no país", disse David Morales do PDDH.

O provedor de Justiça de El Salvador disse que o estudo dá conta de que, em 80 anos, "a disponibilidade per capita de água" será reduzida em 83% no país, onde cerca de 600.000 famílias em áreas rurais já não têm acesso a água potável.

O estudo mostra ainda que em 2016 "bateram-se recordes históricos" quanto ao declínio dos caudais dos principais rios.

E acrescenta que neste país da América Central há uma "poluição legal" da água - derrame de águas residuais em rios que afetam pelo menos 89% da água de superfície.

No dia 14 de abril, o governo salvadorenho declarou o estado de emergência nacional devido à escassez de água, principalmente na área central, e disponibilizou à Administração Nacional Autónoma de Aquedutos e Esgotos (ANDA) 3,5 milhões de dólares (3,1 milhões de euros) para construção de quatro novos poços.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28