sicnot

Perfil

Mundo

Explosão perto de um quartel em Istambul fez vários feridos

Uma explosão de origem desconhecida hoje registada perto de um quartel militar no lado asiático da cidade turca de Istambul fez pelo menos cinco feridos, incluindo uma mulher, indicaram os 'media' turcos.

© Yagiz Karahan / Reuters

A explosão surgiu "do interior de um veículo", informaram os canais de informação NTV e CNN-Turk, precisando que o incidente ocorreu em Sancaktepe, distrito situado no lado asiático de Istambul.

Segundo a agência noticiosa Dogan, elementos militares estão entre os feridos da explosão.

A Turquia está em estado de alerta máximo após vários atentados com ligações à minoria curda ou ao grupo Daesh.

Lusa

  • Atentado em Istambul atribuído ao Daesh
    1:21

    Daesh

    O atentado de Istambul foi atribuído ao Daesh. António Duarte, o português ferido está já com familiares e deve ter alta hospitalar amanhã, confirmou a Secretaria de Estado das Comunidades. A área atingida pela explosão que matou 5 pessoas e feriu 36 foi reaberta esta manhã.

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.