sicnot

Perfil

Mundo

Patrulhamento reforçado contra roubos e violência sexual em universidades de Luanda

A Polícia Nacional angolana vai avançar com um plano especial de combate à criminalidade na área das universidades de Luanda, nomeadamente acerca de crimes de roubo e violência sexual, indiciou hoje aquela força.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Stringer . / Reuters

Segundo informação do Comando-Geral da Polícia Nacional, a que a Lusa teve hoje acesso, este novo modelo de segurança pública envolve medidas administrativas e operativas, para dar "resposta" à "preocupação apresentada" pelo Ministério do Ensino Superior.

Em causa, refere, estão "casos de insegurança que determinados institutos e universidades têm nos seus respetivos territórios".

O plano envolve a instalação de estruturas para alocar nas universidades as forças e meios que vão "dar cobertura policial a essas instituições", passando ainda pelo "patrulhamento auto e motorizado" à volta dessas instituições.

O novo modelo de policiamento foi apresentado quarta-feira às universidades e vai abranger o município de Belas e o distrito da Samba, Luanda, território onde funcionam 23 instituições de ensino superior.

"Vai criar-se um núcleo e uma unidade específica, destinada à proteção de estabelecimentos de ensino superior neste território geográfico", explica o Comando Geral da Polícia Nacional, acrescentando que os crimes "mais frequentes" junto a estas universidades são "as violações sexuais e os roubos".

Além disso, o patrulhamento policial vai tentar "acabar com a venda de bebidas alcoólicas em alguns estabelecimentos universitários", indica a Polícia, numa nota a que a Lusa teve acesso.

Lusa

  • Bruno de Carvalho garante empenho do Sporting
    0:52

    Desporto

    Bruno de Carvalho diz que o Sporting continua empenhado apesar do momento que o clube atravessa. O presidente leonino discursou ao início da tarde no núcleo Leões da Madeira, no Funchal, onde o Sporting joga hoje com o Marítimo.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.