sicnot

Perfil

Mundo

Tempestades violentas provocam 33 mortos no Bangladesh

Tempestades tropicais provocaram esta quinta-feira a morte a 33 pessoas no Bangladesh, dos quais vários atingidos por raios, informou a polícia.

Arquivo

Arquivo

Estas mortes foram registadas nos 10 distritos mais afetados, mas os balanços de outras regiões mais afastadas ainda são desconhecidos, adiantou uma fonte policial à agência noticiosa France Press (AFP).

O noroeste foi a região mais afetada, com 19 pessoas mortas quando uma violenta tempestade a atingiu ao fim do dia.

Os mortos "eram agricultores, que foram, atingidos por um raio quando regressavam a casa, depois de um dia de trabalho", afirmou à AFP Ahsanul Haq, polícia em Pabna, no noroeste, onde morreram seis pessoas.

Em Dacca, três estudantes com cerca de 20 anos morreram da mesma maneira, quando jogavam futebol à chuva, explicou Kawser Ahmed, que é o chefe da polícia local.

O Bangladesh é atingido frequentemente por tempestades antes e durante a época das monções, que se estende de junho a setembro.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.