sicnot

Perfil

Mundo

Tempestades violentas provocam 33 mortos no Bangladesh

Tempestades tropicais provocaram esta quinta-feira a morte a 33 pessoas no Bangladesh, dos quais vários atingidos por raios, informou a polícia.

Arquivo

Arquivo

Estas mortes foram registadas nos 10 distritos mais afetados, mas os balanços de outras regiões mais afastadas ainda são desconhecidos, adiantou uma fonte policial à agência noticiosa France Press (AFP).

O noroeste foi a região mais afetada, com 19 pessoas mortas quando uma violenta tempestade a atingiu ao fim do dia.

Os mortos "eram agricultores, que foram, atingidos por um raio quando regressavam a casa, depois de um dia de trabalho", afirmou à AFP Ahsanul Haq, polícia em Pabna, no noroeste, onde morreram seis pessoas.

Em Dacca, três estudantes com cerca de 20 anos morreram da mesma maneira, quando jogavam futebol à chuva, explicou Kawser Ahmed, que é o chefe da polícia local.

O Bangladesh é atingido frequentemente por tempestades antes e durante a época das monções, que se estende de junho a setembro.

Lusa

  • Rui Vitória não espera facilidades frente ao Tondela
    1:34

    Desporto

    O líder do campeonato, o Benfica, recebe este domingo o último classificado, o Tondela. Na conferência de antevisão do encontro, Rui Vitória afirmou que não espera facilidades. O treinador do Benfica falou ainda de Sebastian Coates.

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.