sicnot

Perfil

Mundo

Dieta sem glúten perigosa para crianças

Uma dieta sem glúten mesmo para crianças que não são celíacas ou que não têm alergia ao trigo pode trazer mais riscos que benefícios, alertam especialistas. Muitos alimentos vendidos sem glúten têm muitas vezes mais gordura e açúcar, o que contribui para a obesidade, outros não têm reforço de vitaminas e minerais, conduzindo a deficiências nutricionais.

Nos últimos anos, as dietas sem glúten tornaram-se muito populares. Um inquérito feito em 2015 revelou que 25% dos norte-americanos consumiam produtos sem glúten, contra os 8% registados em 2013.

No entanto, a doença celíaca é muito rara, menos de 1% dos norte-americanos sofrem deste problema, na Europa estima-se uma prevalência entre 0,2 a 1,2% e, em Portugal, não há ainda dados. É uma doença autoimune do intestino, sensível ao glúten que, ingerido, "leva o organismo a desenvolver uma reacção imunológica contra o próprio intestino delgado, provocando lesões na sua mucosa que se traduzem pela diminuição da capacidade de absorção dos nutrientes", explica a Associação Portuguesa de Celíacos.

A ideia de que uma dieta sem glúten é saudável é um mito

Especialistas norte-americanos alertam que muitas pessoas têm ideias erradas sobre o glúten ou não sabem que uma dieta sem esta proteína de cereais como o trigo, o centeio, a cevada e a aveia traz alguns riscos, revelam num estudo publicado no The Journal of Pediatrics.

"Preocupados com a saúde das crianças, os pais retiram da alimentação produtos com glúten, acreditando que assim podem prevenir a doença celíaca ou que esta é uma alternativa saudável, sem sequer testarem se a criança é celíaca ou consultarem um nutricionista", afirma um dos autores do estudo Dr. Norelle R. Reilly gastrenterologista pediátrico na Universidade de Columbia de Nova Iorque.

A ideia de que uma dieta sem glúten é saudável é um mito, não há provas científicas que mostrem benefícios para a saúde para pessoas que não são celíacas, não têm alergia ao trigo ou sensibilidade ao glúten sem doença celíaca (esta sensibilidade afeta até 6% das pessoas e envolve sintomas gastrointestinais específicos que são induzidos pelo glúten).

Alimentos empacotados sem glúten têm muitas vezes mais gordura e açúcar

Mais ainda, garante Reilly, uma dieta sem glúten pode mesmo trazer riscos caso a pessoa não se aconselhe com um médico ou um nutricionista.

Os alimentos empacotados sem glúten têm muitas vezes mais gordura e açúcar, alguns não têm reforço de vitaminas e minerais, o que pode conduzir a obesidade e a deficiências nutricionais.

Há quem acredite que não dar produtos com glúten às crianças previne o aparecimento da doença celíaca, mas não há provas científicas que tal aconteça, afirmam os cientistas.

  • Vida de celíaco
    2:45

    País

    Os alimentos sem glúten são cada vez mais frequentes nos supermercados mas para os celíacos continua a ser difícil fazer uma vida normal, especialmente quando fazem refeições fora de casa. Estima-se que em Portugal existam mais de 70 mil celíacos sem diagnóstico.

  • Cientistas australianos anunciam primeira cerveja de cevada sem glúten

    Mundo

    Cientistas australianos anunciaram hoje ter criado cerveja de cevada sem glúten, a primeira do tipo em todo o mundo. A cevada produzida pela Organização para a Investigação Industrial e Científica da Commonwealth da Austrália (CSIRO) foi especificamente criada para conter níveis "ultrabaixos" de hordeínas, o tipo de glúten que se encontra na cevada, uma das matérias-primas da cerveja.

  • Museu do Pão produz bolo rei sem glúten
    2:30

    País

    O Museu do Pão, em Seia, criou um bolo rei para alérgicos ao glúten, uma substância que existe nos cereais. O produto é mais pequeno que os tradicionais, tem apenas meio quilo e é certificado pela Associação Portuguesa de Celíacos.

  • Restaurante italiano de Matosinhos promove formação com receitas sem glúten
    2:43

    País

    Um grupo de crianças celíacas aprendeu a fazer pão, pizzas e tartes sem glúten. A doença, caracterizada pela intolerância ao glúten, afeta mais de um por cento da população portuguesa e obriga a uma dieta rigorosa. O glúten provoca inflamação nos intestinos dos celíacos que impede a absorção de alimentos. Falta de apetite, dores crónicas na barriga e atrasos no crescimento podem ser sinais da doença. Os pais dizem que uma das maiores preocupações em relação aos filhos são as refeições fora de casa. O glúten está por norma presente na aveia, no centeio, no trigo, na cevada e em fermentos. Existem muito poucos restaurantes certificados em Portugal a servir refeições sem glúten.

  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Turista italiano assassinado em favela do Rio de Janeiro
    1:01

    Mundo

    Um turista italiano de 52 anos foi assassinado numa favela do Rio de Janeiro, no Brasil, enquanto viajava com um amigo. Após várias horas com o gangue autor do crime, o amigo que se encontrava com a vítima acabou por ser libertado.

  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47