sicnot

Perfil

Mundo

Escândalo com nova campanha da Calvin Klein para roupa interior

A nova campanha publicitária da Calvin Klein está a suscitar numerosas críticas, sobretudo porque mistura infância e sexo. Mostra a roupa interior de uma jovem modelo fotografada por baixo da saia.

instagram.com/calvinklein/

"I-flash-in #mycalvins" (eu exibo as minhas Calvins), é a legenda de uma foto sépia retirada da nova campanha intitulada "Erotica", com a modelo Klara Kristin de 23 anos. A jovem atuou no filme "Love" do realizador francês Gaspar Noé de 2015, classificado para maiores de 18 anos.

Os utilizadores do Instagram são convidados a espreitar por baixo da saia de Klara Kristin. A imagem desencadeou numerosas reações nos Estados Unidos, nas redes sociais e mais além.

"Calvin Klein faz marketing para os perversos", acusa o tabloide New York Post. "Calvin Klein, a tua publicidade dá um caráter sexual às jovens raparigas. Não compraremos" - "we're #NotBuyingIt", escreveu no Twitter uma das contas do movimento The Representation Project, que diz lutar contra os "estereótipos e as injustiças sociais".

O Centro Nacional contra a Exploração Sexual (NCOSE) lançou uma petição intitulada "Moralidade nos Media" exigindo à Calvin Klein que "pare de normalizar o assédio sexual conferindo-lhe glamour".

Take a peek: @karate_katia, photographed by @harleyweir for the Spring 2016 advertising campaign. #mycalvins

Uma foto publicada por Calvin Klein (@calvinklein) a

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28