sicnot

Perfil

Mundo

Jornalista morto a tiro na Índia

Um jornalista indiano morreu depois de ter sido alvejado quando regressava a casa do trabalho, um canal de televisão regional, no leste do país, desconhecendo-se as causas do assassínio, informou hoje fonte policial.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Reuters Photographer / Reuter

Inder Dev Yadav, que trabalhava para o canal Taaza News, foi alvejado na quinta-feira à noite, a 300 metros de casa, na localidade de Chatra, na província de Jharkhand, disse à agência Efe o superintendente da polícia regional, Anjani Kumar Jha.

"Encontrámos cinco cartuchos, pelo que imaginámos que dispararam cinco vezes", explicou, indicando que ninguém viu os atacantes e que as autoridades investigam as razões do assassínio.

Segundo a Repórteres Sem Fronteiras e o Comité de Proteção dos Jornalistas, a Índia ocupou no ano passado a 133.ª posição de um total de 180 países no índice de liberdade de imprensa.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.