sicnot

Perfil

Mundo

Nuvem tóxica perto de Madrid provocada por incêndio em depósito de pneus

galeria de fotos

Um incêndio deflagrou hoje num depósito de pneus usados, a cerca de 50 quilómetros de Madrid, causando uma densa nuvem de fumo negro tóxico, disseram as autoridades espanholas.

ISMAEL HERRERO

ISMAEL HERRERO

ISMAEL HERRERO

ISMAEL HERRERO

ISMAEL HERRERO

ISMAEL HERRERO

O governo da região de Castela-Mancha (centro) desencadeou um plano de emergência na província de Toledo, onde fica o depósito que a imprensa afirmou ser o maior do país, entre as localidades de Valdemoro e Seseña.

O incêndio "produziu uma nuvem tóxica que poderá atingir parte da população de Seseña", de 20 mil habitantes, alertou o governo regional em comunicado, no qual é divulgado uma linha de telefone gratuita (900 122 112) para disponibilizar informações.

Os bombeiros de Madrid e de Toledo estão no local, bem como helicópteros.

"Cerca de um quinto (da área do depósito) foi afetado, com milhares de toneladas (de pneus)", disse Luis Villarroel, responsável dos bombeiros de Madrid, num vídeo divulgado na conta dos bombeiros na rede social Twitter.

O responsável recomendou aos habitantes que fechem portas e janelas, expondo-se o menos possível ao fumo.

O alerta foi dado às 01:20 (00:20 em Lisboa), disse um porta-voz dos serviços de emergência.

Este depósito surgiu na década de 1990 e nunca mais parou de crescer. Em 2003 foi declarado ilegal, mas até hoje não foi encontrada qualquer solução para remover os pneus acumulados em cerca de dez hectares, o equivalente a 14 campos de futebol.

Os ecologistas denunciam há anos os riscos de poluição deste depósito.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras