sicnot

Perfil

Mundo

Pistola usada para matar jovem negro desarmado nos EUA vale milhões num leilão

A pistola usada por um vigilante de bairro para matar um adolescente negro desarmado nos Estados Unidos em 2012 atingiu hoje o valor de mais de 53 milhões de dólares (46,6 milhões de euros) num leilão na Internet.

© POOL New / Reuters

Em menos de 24 horas, mais de 9.000 ofertas foram feitas após o lançamento do leilão com um preço de partida de 5.000 dólares (cerca de 4.400 euros), já acima do preço de mercado de uma arma em segunda mão.

Às 05:10 (10:00 em Lisboa), o leilão atingiu um valor superior a 53 milhões de dólares, mas é difícil verificar a seriedade das ofertas, porque alguns participantes utilizam pseudónimos e cobrem os seus próprios lances. O leilão ainda vai durar cinco dias.

George Zimmerman, antigo vigilante de bairro na Florida, abateu a 26 de fevereiro de 2012 Trayvon Martin, um adolescente negro de 17 anos que estava desarmado.

Em 2013, a justiça aceitou a tese de legítima defesa e absolveu Zimmerman. A família e amigos de Trayvon Martin afirmaram tratar-se de um crime racista.

No anúncio do leilão, Zimmerman apresenta a pistola, uma Kel-Tec PF-9 de nove milímetros, como "a arma utilizada para defender (a sua) vida e acabar com a agressão brutal de Trayvon Martin".

É uma "ocasião para adquirir um pedaço da história dos Estados Unidos", adianta dirigindo-se aos potenciais compradores.

"Tenho o orgulho de anunciar que uma parte do lucro da venda da pistola será usado para combater a violência do BLM (Black Lives Matter) contra os agentes da autoridade", disse.

O movimento antirracista Black Lives Matter desenvolveu-se após vários jovens negros terem sido mortos em todo o país, muitas vezes por polícias que não foram processados.

Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08