sicnot

Perfil

Mundo

China acusa EUA de distorcer factos sobre política militar e prejudicar relações

A China acusou hoje os Estados Unidos de deliberadamente distorcer os factos sobre política militar, em referência ao relatório divulgado na sexta-feira pelo Pentágono, avisando Washington de que "prejudicou gravemente" a relação de confiança entre as duas superpotências.

© Edgar Su / Reuters

O Pentágono acusou na sexta-feira a China de estar a utilizar "táticas coercivas" e a fomentar tensões regionais à medida que expande a sua presença marítima no sul do Mar da China, mas evitando desencadear um conflito armado.

No relatório anual ao Congresso, o Departamento de Defesa traçou o rápido crescimento militar da China e descreveu como está a defender a sua reivindicação da soberania no Mar da China.

O ano passado, por exemplo, a China destacou para o sul do Mar da China navios da guarda costeira para manter uma presença "quase contínua" no local.

Segundo o Departamento de Estado, a China destacou também aviões e navios para patrulhar um conjunto de ilhas conhecidas como Senkaku, em japonês, e Diaoyu, em chinês.

"A China está a usar táticas coercivas para fazer prevalecer os seus interesses, mas sem provocar conflito", refere o relatório.

Na resposta divulgada hoje, através dos meios de comunicação social do Estado chinês, um porta-voz do Ministério da Defesa do país acusou o Pentágono de "deliberadamente distorcer as políticas de defesa chinesas".

"São os Estados Unidos que têm mostrado poderio militar ao frequentemente enviarem aviação e navios de guerra para a região", disse o porta-voz Yang Yujun, segundo a agência de notícias estatal Xinhua, citada pela AFP.

O responsável acrescentou que o relatório anual ao Congresso norte-americano "prejudicou gravemente a confiança mútua entre os dois lados".

Yang acusou os Estados Unidos de estarem na origem da "militarização" do sul do Mar da China, um território reivindicado por países como o Vietname, Taiwan, Brunei, Malásia, Filipinas, assim como pela China.

O sul do Mar da China é uma importante rota marítima e pensa-se que ali estejam depositados importantes recursos energéticos.

A região tornou-se numa crescente fonte de tensão entre Pequim e Washington. Os americanos receiam que a China esteja a tentar impor controlo militar em toda a zona, onde os chineses construíram grandes estruturas como sistemas de radar e pistas de aviação.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.