sicnot

Perfil

Mundo

China acusa EUA de distorcer factos sobre política militar e prejudicar relações

A China acusou hoje os Estados Unidos de deliberadamente distorcer os factos sobre política militar, em referência ao relatório divulgado na sexta-feira pelo Pentágono, avisando Washington de que "prejudicou gravemente" a relação de confiança entre as duas superpotências.

© Edgar Su / Reuters

O Pentágono acusou na sexta-feira a China de estar a utilizar "táticas coercivas" e a fomentar tensões regionais à medida que expande a sua presença marítima no sul do Mar da China, mas evitando desencadear um conflito armado.

No relatório anual ao Congresso, o Departamento de Defesa traçou o rápido crescimento militar da China e descreveu como está a defender a sua reivindicação da soberania no Mar da China.

O ano passado, por exemplo, a China destacou para o sul do Mar da China navios da guarda costeira para manter uma presença "quase contínua" no local.

Segundo o Departamento de Estado, a China destacou também aviões e navios para patrulhar um conjunto de ilhas conhecidas como Senkaku, em japonês, e Diaoyu, em chinês.

"A China está a usar táticas coercivas para fazer prevalecer os seus interesses, mas sem provocar conflito", refere o relatório.

Na resposta divulgada hoje, através dos meios de comunicação social do Estado chinês, um porta-voz do Ministério da Defesa do país acusou o Pentágono de "deliberadamente distorcer as políticas de defesa chinesas".

"São os Estados Unidos que têm mostrado poderio militar ao frequentemente enviarem aviação e navios de guerra para a região", disse o porta-voz Yang Yujun, segundo a agência de notícias estatal Xinhua, citada pela AFP.

O responsável acrescentou que o relatório anual ao Congresso norte-americano "prejudicou gravemente a confiança mútua entre os dois lados".

Yang acusou os Estados Unidos de estarem na origem da "militarização" do sul do Mar da China, um território reivindicado por países como o Vietname, Taiwan, Brunei, Malásia, Filipinas, assim como pela China.

O sul do Mar da China é uma importante rota marítima e pensa-se que ali estejam depositados importantes recursos energéticos.

A região tornou-se numa crescente fonte de tensão entre Pequim e Washington. Os americanos receiam que a China esteja a tentar impor controlo militar em toda a zona, onde os chineses construíram grandes estruturas como sistemas de radar e pistas de aviação.

Lusa

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.