sicnot

Perfil

Mundo

Marcha dos "Indignados" em Madrid assinala quinto aniversário do movimento

Vários milhares de pessoas desfilaram hoje nas ruas de Madrid por ocasião do quinto aniversário dos "Indignados", movimento nascido em Madrid para denunciar uma classe política afastada das realidades do país, a corrupção e a austeridade.

© Sergio Perez / Reuters

Em Madrid, o aniversário deste movimento foi também comemorado com concentrações na praça da Puerta del Sol, no centro da capital, que durante semanas foi ocupada pelos "Indignados".

"Há cinco anos, viemos para aqui e foi um momento muito comovente de despertar, de união, de coletivo", testemunhou Paola Weil, professora primária substituta, de 35 anos.

O "15-M" (15 de maio), primeiro dia de uma mobilização que se tornou no movimento dos "Indignados", "foi um movimento daqueles que estão na base", congratulou-se Lorenzo Higueras, documentalista, de 52 anos. "Não tínhamos consciência do que erámos: capazes de pensar e de agir", disse.

Este foi "o despertar de cidadãos que sofriam há anos em privado - como se fossem dores ou responsabilidades individuais - os efeitos de uma crise devastadora", escreveu também no jornal El Pais, Rita Maestre, porta-voz da câmara municipal de Madrid, liderada desde o ano passado por uma plataforma cidadã, em parte composta por indignados.

"O movimento alastrou", afirmou Alicia Ortells, enfermeira e militante do partido Podemos, de 57 anos. "Erámos zombies, apáticos. Foi um espetáculo que permitiu às pessoas questionarem-se".

A partir de 2008, mais de dois milhões de espanhóis perderam o seu emprego devido à crise económica, enquanto o governo socialista e depois o dos conservadores, aplicavam políticas de austeridade.

Nas legislativas de dezembro, os eleitores afastaram os dois partidos do poder, fazendo emergir dois novos partidos: Podemos, terceira força política, e Ciudadanos, de centro liberal.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.