sicnot

Perfil

Mundo

Raios matam 59 pessoas em três dias no Bangladesh

Os raios mataram 59 pessoas em três dias no Bangladesh, um recorde sem precedentes mesmo num país habituado às tempestades tropicais antes das monções, indicou hoje o responsável do departamento de gestão de catástrofes.

Reuters

"Nunca tínhamos registado um número tão elevado de mortos devido aos raios [descargas elétricas]", declarou à agência France Presse Reaz Ahmed.

A maioria das vítimas são camponeses atingidos quando trabalhavam nos seus campos de arroz.

Segundo o departamento de gestão de catástrofes, desde 2011 que são atribuídas aos raios cerca de 200 mortes anuais.

O aumento do número de vítimas explica-se, segundo o meteorologista Shah Alam, pela desflorestação e sobretudo pelo corte das árvores mais altas, como as palmeiras, que funcionam como para-raios, atraindo-os.

Além disso, os trabalhadores agrícolas cada vez têm mais objetos metálicos, como telemóveis.

As autoridades anunciaram o lançamento de uma campanha de informação sobre os perigos dos raios a partir de segunda-feira.

Lusa

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.