sicnot

Perfil

Mundo

República Dominicana elege 4.100 titulares de cargos políticos

Os dominicanos são hoje chamados a votar para eleger mais de 4.100 titulares de cargos políticos, entre os quais um novo Presidente, senadores, deputados e autarcas.

© Ricardo Rojas / Reuters

Um total de 24.442 candidatos tentam conseguir um dos 4.106 cargos que estão a votação.

Cerca de 6,7 milhões de eleitores são chamados a votar para escolher o novo Presidente e vice-presidente do país, 3.842 autarcas e os mais de 260 membros do Congresso.

O favorito para ganhar as eleições é o Partido da Libertação Dominicana (PLD), no Governo.

O atual Presidente da República Dominicana, Danilo Medina, candidata-se a um segundo mandato à frente do Governo e deverá ganhar, segundo todas as sondagens.

Esta é a primeira vez em vinte anos que a República Dominicana faz coincidir as eleições presidenciais com as legislativas e as municipais.

A campanha teve dois protagonistas: Danilo Medina e o empresário Luis Abinader, do Partido Revolucionário Moderno (PRM), nascido em 2014, de uma cisão dentro do Partido Revolucionário Dominicano (PRD).

As sondagens mais recentes dão a vitória, com maioria absoluta, a Danilo Medina.

A República Dominicana vive, essencialmente, do turismo e a sua economia cresceu 7% em 2015. No entanto, mais de 40% dos seus 10,4 milhões de habitantes vivem abaixo do limiar da pobreza e a taxa de desemprego ronda os 14%, segundo dados oficiais.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.