sicnot

Perfil

Mundo

Governo colombiano e FARC acordam retirada de menores de 15 anos da guerrilha

O Governo colombiano e a guerrilha das FARC anunciaram no domingo um acordo para a retirada de menores de 15 anos dos acampamentos do grupo guerrilheiro.

reuters

O acordo inclui ainda a elaboração de um plano para a desmobilização progressiva dos menores de 18 que integram as fileiras das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e um programa para a reintegração na sociedade civil de todas as crianças e adolescentes que saiam da guerrilha, segundo um comunicado conjunto.

Em fevereiro, as FARC haviam já assumido o compromisso de não voltar a recrutar menores de 18 anos.

Todos os menores que saiam da guerrilha serão considerados vítimas e os que têm menos de 14 anos nunca poderão ser considerados penalmente responsáveis, segundo o acordo.

O negociador das FARC, "Ivan Marquez", disse que há 21 menores de 15 anos nos acampamentos da guerrilha.

"Alcançámos um acordo com o Governo para que os menores (...) possam voltar a ser acolhidos de forma segura nas suas comunidades de origem, no âmbito de um programa de proteção, de forma a que estes rapazes não voltem a sentir-se desamparados", afirmou "Ivan Marquez", 'nome de guerra' de Luciano Marín e número dois das FARC.

O negociador do Governo da Colômbia, Humberto de la Calle, disse que as FARC se comprometeram a dar toda a informação necessária para identificar e instalar os menores e que os guerrilheiros colaborarão com a sua saída dos acampamentos.

A reinstalação e acompanhamento dos menores contará com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da Organização Internacional das Migrações (OIM).

"Na construção da paz devemos zelar para que os jovens e as crianças estejam com as suas famílias, vão à escola, vivam uma infância e juventude plenas e nunca mais sejam usados como instrumentos dentro da guerra", sublinhou Humberto de la Calle.

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, já manifestou a sua satisfação com o acordo, que foi anunciado em Havana, onde decorrem há mais de três anos negociações de paz entre o executivo da Colômbia e as FARC, sob a mediação de Cuba.

"Conseguimos um acordo histórico em Havana para retirar as crianças da guerra", escreveu Juan Manuel Santos na sua conta na rede social Twitter.

"Devolveremos as crianças recrutadas pelas FARC às suas famílias. Elas são o futuro de um país em paz", acrescentou.

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.