sicnot

Perfil

Mundo

Potências mundiais dispostas a armar governo de unidade da Líbia

As potências mundiais reunidas em Viena para discutir a situação na Líbia afirmaram-se hoje dispostas a levantar o embargo e fornecer armas ao novo governo de unidade da Líbia para combater o Daesh.

John Kerry, secretário de Estado dos EUA.

John Kerry, secretário de Estado dos EUA.

© Gary Cameron / Reuters

"O Governo de Unidade Nacional manifestou a intenção de apresentar pedidos de exceção ao embargo de armas junto do comité de sanções à Líbia da ONU para adquirir as armas letais necessárias para combater grupos terroristas em todo o país. Vamos apoiar plenamente estes esforços", afirmam num comunicado 25 representantes mundiais.

O texto, lido à imprensa pelo chefe da diplomacia dos Estados Unidos, John Kerry, foi aprovado numa reunião em Viena sobre a instabilidade e a expansão do jihadismo na Líbia, e a ameaça que representam para a Europa.

A reunião é copresidida pelos Estados Unidos e pela Itália e conta com a participação de ministros dos Negócios Estrangeiros de mais de duas dezenas de países - incluindo a Rússia, Arábia Saudita, China, Egito, Tunísia, Alemanha, França e Reino Unido -, da chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, e do enviado especial da ONU para a Líbia, Martin Kobler.

A Líbia vive uma situação de caos desde a revolução de 2011 que depôs Muammar Kadhafi, com o apoio da NATO.

Em 2015, ao conflito político protagonizado por dois governos rivais juntou-se a entrada em território líbio do Daesh, que estabeleceu um bastião em Sirte, cidade natal de Kadhafi.

O recém-formado governo de unidade nacional, apoiado pela comunidade internacional, tem conseguido afirmar a sua autoridade na capital, Tripoli, mas não conseguiu o apoio do governo e parlamento rivais.

O primeiro-ministro do governo de unidade, Fayez al-Sarraj, apresentou hoje em Viena às potências mundiais uma lista de apoios - armamento, treino e informações - que considera necessários para a estabilização do país.

Lusa

  • Quem deve ser o próximo treinador do FC Porto?

    Desporto

    Nuno Espírito Santo já não é treinador do FC Porto. O técnico e o clube chegaram a acordo mútuo para a rescisão do contrato, que o ligava por mais uma temporada aos dragões. Nuno Pinto da Costa tem agora que encontrar um novo treinador para orientar dos "dragões". Os nomes em cima da mesa são vários. Diga-nos quem deve ser o novo treinador do FC Porto.

  • Os treinadores do FC Porto desde o último título 

    Desporto

    Nunca o FC Porto esteve quatro anos consecutivos sem ganhar um título durante a presidência de Nuno Pinto da Costa. A ausência de vitórias teve início na época de 2013/14, quando começou uma autêntica dança de treinadores.

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Divulgado vídeo dos bambardeamentos contra o Daesh no Iraque
    0:42
  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.