sicnot

Perfil

Mundo

Camionistas franceses bloqueiam estradas e portos contra a reforma laboral

Camionistas franceses circularam hoje de manhã lentamente, bloqueando portos, refinarias e outros centros industriais por todo o país, no início de uma nova jornada de greves e manifestações contra a reforma laboral do Governo do Presidente François Hollande.

reuters

Quatro sindicatos e três organizações de estudantes convocaram uma série de protestos, que vão ter continuidade ao longo da semana até quinta-feira, com greves convocadas para o setor dos comboios e no controlo aéreo.

Esta manhã, pelas 08:00 locais (06:00 em Lisboa), o Centro Nacional de Informação Viária (CNIR) constatava diversas "operações caracol" de camiões, que circulavam lentamente em pontos estratégicos da rede rodoviária francesa, nas zonas de Vitrolles (próximo de Marselha), Rennes, Caen, Nantes ou Saint Omer (próximo do porto de Calais).

Alguns acessos ao porto de Saint Nazaire (oeste) encontravam-se bloqueados, como também as entradas na refinaria de Donges. Em Le Havre (noroeste), o encerramento de muitas estradas pelos camionistas juntou-se ao protesto dos estivadores do porto.

À margem dos camionistas -- que se queixam em particular de que a reforma laboral diminuirá a retribuição das suas horas extraordinárias -- o protesto vai traduzir-se em novas manifestações, como a que está convocada para a tarde de hoje em Paris.

O principal sindicato organizador, a Confederação Geral do Trabalho (CGT), convocou para quarta-feira uma greve na companhia ferroviária SNFC.

Para quinta-feira, a greve deverá afetar o setor da aviação, já que foi lançada uma convocatória pelos controladores aéreos.

O Presidente francês, François Hollande, disse hoje que não irá ceder e que a lei da reforma laboral irá ser aprovada, justificando o seu conteúdo, que é resultado de "um compromisso" com os "sindicatos reformistas".

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.