sicnot

Perfil

Mundo

"É uma questão de tempo para que o parlamento venezuelano desapareça"

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse hoje que "é uma questão de tempo" para que o parlamento venezuelano "desapareça", por estar desligado dos interesses do país.

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

"A Assembleia Nacional (AN) da Venezuela perdeu vigor político. É questão de tempo para que desapareça", disse.

Nicolás Maduro falava em Caracas, no palácio presidencial de Miraflores, durante uma conferência de imprensa em que vincou que nenhum venezuelano espera algo de bom do atual parlamento.

"A AN está desligada dos interesses nacionais. Tenho a certeza que [os parlamentares] vão negar o decreto, porque querem acabar com a vida económica do país, para chegar, com um tapete vermelho a Miraflores", frisou.

Nicolás Maduro fazia alusão ao recente decreto presidencial de extensão do estado de "exceção e emergência económica" no país, que precisa da aprovação do parlamento e do Supremo Tribunal de Justiça para entrar em vigor.

Por outro lado, explicou que "há um poquinho de loucura, de desesperação" no parlamento venezuelano, porque a maioria opositora propôs-se alcançar "objetivos inatingíveis", entre eles a realização de um referendo revogatório do mandado do chefe de Estado.

"Todos os referendos são uma opção, não uma obrigação. Não estamos obrigados a fazer um referendo no país. São uma opção e tem os seus mecanismos legais para ativar-se. Eu repito isso. Os referendos, de qualquer tipo, na Venezuela, são uma bonita opção, mas para que se convertam em realidade necessitam cumprir a lei e os requerimentos", frisou.

Segundo Nicolás Maduro, a oposição não quer que o referendo se realize, porque deveria ter feito o pedido a 11 de janeiro, data em que o mandato do chefe de Estado chegou à metade.

"A 11 de janeiro eles poderiam ativar essa possibilidade. O certo é que eles não queriam o referendo. Eles querem um golpe de Estado, uma guerra económica. (...) Não o ativaram [o referendo] na data que tinham que ativar e fizeram-no entre cotoveladas e pontapés", disse.

Questionado sobre o facto de o presidente da Câmara Municipal de Libertador, Jorge Rodríguez, não ter permitido as marchas no centro de Caracas, o chefe de Estado acusou os oposicionistas de quererem "impor a insurreição" na capital.

"Aqui pode marchar quem quiser, mas vocês sabem que há planos para converter, em Caracas, essas marchas em eventos insurrecionais. Eles não podem impor a insurreição no país. Se eles querem marchar que o façam de Chacaíto a Altamira [ambas localidades a leste de Caracas]", disse.

Segundo Nicolás Maduro, cada vez que a oposição marcha até ao centro de Caracas "há mortos".

O presidente da Venezuela denunciou que "está montado um cenário de violência para justificar uma intervenção estrangeira" e acusou a imprensa internacional de estar a apoiar os grupos da "direita" que procuram acabar com a paz no país.

Lusa

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC