sicnot

Perfil

Mundo

Escolas de Los Angeles vão pagar 77 M€ a 30 alunos vítimas de pedofilia

Os serviços de educação do estado norte-americano de Los Angeles acordaram pagar 88 milhões de dólares (77 milhões de euros) a trinta alunos de dois colégios que foram vítimas de professores pedófilos, revelou hoje a imprensa.

Num dos colégios, as famílias de 18 crianças queixaram-se desde 2002 de um professor por causa do seu comportamento considerado demasiado afetuoso com os menores, mas as autoridades não tomaram qualquer medida. O professor só foi detido em 2013

Num dos colégios, as famílias de 18 crianças queixaram-se desde 2002 de um professor por causa do seu comportamento considerado demasiado afetuoso com os menores, mas as autoridades não tomaram qualquer medida. O professor só foi detido em 2013

© David McNew / Reuters

O valor consta de um acordo extrajudicial a que chegaram as famílias e o distrito escolar de Los Angeles, que os alunos haviam processado por não terem sido tomadas medidas para prevenir os abusos, apesar das queixas em relação ao comportamento dos professores.

Num dos colégios, as famílias de 18 crianças queixaram-se desde 2002 de um professor por causa do seu comportamento considerado demasiado afetuoso com os menores, mas as autoridades não tomaram qualquer medida. O professor só foi detido em 2013.

No outro caso, as famílias queixaram-se por não ter sido feito qualquer investigação a um professor que havia sido despedido de um colégio e julgado com a acusação de abuso de um menor. Além disso, outros professores denunciaram durante anos os comportamentos do colega, que acabou por ser julgado e condenado a 25 anos de prisão por pedofilia.

Lusa

  • Oceanário de Lisboa dá formação sobre impacto da acumulação de plásticos nos oceanos
    2:37
  • Trump e Netanyahu discutiram "ameaças que o Irão coloca"

    Mundo

    O novo Presidente norte-americano, Donald Trump, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, debateram "as ameaças que o Irão coloca" e concordaram que a paz israelo-palestiniana só pode ser "negociada diretamente", anunciou este domingo a Casa Branca.