sicnot

Perfil

Mundo

Polícia australiana acusa jovem de 18 anos de planear ataques terroristas

A polícia australiana acusou hoje um jovem de 18 anos de planear atentados terroristas no país, depois de o deter numa operação em Sydney.

reuters

O acusado, identificado como Tamim Khaja, será presente quarta-feira ao juiz, no centro da maior cidade australiana, de acordo com a rádio local ABC, citada pela agência espanhola Efe.

O advogado do jovem, Osman Samin, fez saber que oportunamente irá solicitar a liberdade sob fiança.

Neil Gaughan, subcomissário da polícia, explicou em conferência de imprensa que o jovem se preparava para adquirir uma arma de fogo e estabelecer objetivos em Sydney.

O mesmo oficial da polícia acrescentou que o jovem começou por tentar sair da Austrália e, quando não pode fazê-lo, começou a planear um atentado por sua conta, sem a colaboração de terceiros.

A Austrália registou nos últimos anos um aumento do número de adolescentes e jovens seduzidos por movimentos extremistas islâmicos, que se envolveram em atentados em solo australiano ou que tentaram sair do país para combater no Médio Oriente.

A subcomissária da polícia do estado de Nova Gales do Sul (no leste do país), Catherine Burn, sublinhou que foram prevenidos até à data nove atentados, incluindo este último.

Numa outra operação, os corpos de segurança do estado de Victoria (sudeste) detiveram na semana passada cinco pessoas quanto tentavam abandonar o país por via marítima para se juntarem ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na Síria.

Entre os detidos, acusados de se prepararem para entrar num país estrangeiro com a intenção de participar em atividades hostis, figura o pregador radical Musa Cerantonio.

As autoridades da Austrália calculam que há cerca de 200 cidadãos seus que apoiam ativamente o EI em solo australiano, para além de outros 110 que se deslocaram para o Médio Oriente, dos quais quase meia centena já morreu em combate.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.