sicnot

Perfil

Mundo

Dezenas de pessoas exigem a liberdade para os presos políticos na Venezuela

Liberdade para os presos políticos na Venezuela foi o mote de uma concentração que hoje juntou cerca de 40 pessoas em frente à Assembleia da República, em Lisboa.

Tiago Petinga

Na iniciativa, promovida pelo eurodeputado do Partido da Terra-MPT José Inácio Faria e pelo eurodeputado do Partido Social Democrata (PSD) Carlos Coelho, estiveram presentes vários membros da comunidade venezuelana que residem em Portugal e que se agrupam em torno da Venexos, associação de apoio a emigrantes venezuelanos em Portugal.

Numa faixa empunhada por alguns manifestantes podia ler-se a frase "Medicamentos para a Venezuela", enquanto outros manifestantes exibiam pequenos cartazes a pedir a liberdade de alguns dos presos venezuelanos mais notórios como Leopoldo López e Antonio Ledezma.

"Viva a Venezuela, liberdade para os presos políticos já", "Sim, é possível", "Chega de impunidade" e "Referendo já" foram algumas das palavras de ordem que ecoaram junto do parlamento português.

No final, entre bandeiras da Venezuela, gritou-se liberdade, cumpriu-se um minuto de silêncio e entoou-se o hino do país.

Hélio Pestana, representante da Venexos na região norte de Portugal, denunciou o "terrorismo de Estado" numa curta intervenção, enquanto o eurodeputado do MPT exigiu a liberdade dos presos políticos, uma "obrigação moral" do Estado venezuelano.

"Esta concentração destina-se a apelar com a nossa voz ao mundo inteiro e pela possibilidade do povo venezuelano poder avançar com o plebiscito sobre o revogatório [processo de destituição do Presidente venezuelano Nicolás Maduro] e sobre a carência de medicamentos", disse, em declarações à Lusa, José Inácio Faria.

"Fui o único eurodeputado português que esteve nas eleições legislativas venezuelanas de 06 de dezembro e nos contactos que efetuei senti que os portugueses se sentem desamparados, abandonados", acrescentou.

Em Portugal vivem entre 20 mil a 25 mil venezuelanos, para além dos cerca de 50 mil que regressaram ao país e que possuem o estatuto de dupla nacionalidade.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.