sicnot

Perfil

Mundo

Diamante azul Oppenheimer vendido por 45 milhões

Um diamante azul do magnata de exploração mineira Philip Oppenheimer foi vendido hoje por 50,6 milhões de dólares (45 milhões de euros) num leilão em Genebra, anunciou a Christie's.

© Denis Balibouse / Reuters

O diamante de 14.62 quilates, de nome "Oppenheimer Blue", é a maior pedra na rara categoria 'Fancy Vivid Blue' (de diamantes polidos), informou a leiloeira Christie's.

O comprador anónimo vai pagar um total de 57,54 milhões de dólares (51 milhões de euros) com todas as taxas e comissões incluídas, disse o porta-voz da casa de leilões.

O "Oppenheimer Blue" tornou-se o diamante polido mais caro já vendido em leilão, batendo o recorde de 48 milhões de dólares definido pela Sotheby´s, em novembro, com o diamante de 12,03 quilates "Blue Moon of Josephine", comprado pelo bilionário de Hong Kong Joseph Lau.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51