sicnot

Perfil

Mundo

Organização dos Estados Americanos acusa Maduro de traição se impedir referendo

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, acusou hoje o presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, de atraiçoar o povo e de ser "mais um ditador" se impedir o referendo para revogar o seu mandato.

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

"Que ninguém cometa o erro de fazer um golpe contra ti, mas tu também não o podes fazer. É o teu dever. Tens o imperativo de decência pública de realizar o referendo revogatório em 2016, porque, quando a política está polarizada, a decisão deve ser do povo, que é o que a Constituição diz", refere, em comunicado, Luis Almagro.

No texto, Luis Almagro considera que negar a consulta ao povo e a sua possibilidade de decidir vai transformar Nicolas Maduro em "mais um ditador".

Na terça-feira, Nicolas Maduro acusou Luis Almagro de ser um "agente da CIA" e de apoiar a campanha da oposição venezuelana para a realização do referendo.

"Não sou agente da CIA. E a tua mentira, apesar de repetida mil vezes, nunca será verdade", salientou o secretário-geral da OEA.

"Não sou traidor de ideias, nem de princípios (...) Mas tu és, presidente, atraiçoas o teu povo e a tua suposta ideologia, és traidor da ética política com as tuas mentiras e traições ao princípio mais sagrado da política, que é submeteres-te ao escrutínio do teu povo", sublinhou.

Luis Almagro instou Nicolas Maduro a "devolver a justiça ao povo", à Assembleia Nacional o seu "legítimo poder" e ao "povo a decisão sobre o seu futuro".

A oposição venezuelana, com maioria no parlamento desde janeiro, quer convocar um referendo para revogar o mandato de Nicolas Maduro ainda este ano.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.