sicnot

Perfil

Mundo

Ex-ministro Pedro Parente assume presidência da Petrobras

Pedro Parente, ex-ministro no governo de Fernando Henrique Cardoso, foi escolhido para presidente da petrolífera estatal Petrobras pelo chefe de Estado brasileiro interino, Michel Temer.

Pedro Parente

Pedro Parente

© Adriano Machado / Reuters

Pedro Parente vai substituir Aldemir Bendine, nomeado em fevereiro do ano passado após a renúncia de Graça Foster.

O novo presidente da Petrobras foi ministro do Planeamento, da Casa Civil e ministro interino de Minas e Energia no governo do antigo presidente Fernando Henrique Cardoso.

Pedro Parente foi ainda presidente da Câmara de Gestão da Crise de Energia de 2001/2002 no governo federal e coordenou a equipa de transição entre os governos de Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

O engenheiro, que também já atuou como consultor do Fundo Monetário Internacional (FMI) e passou pelo Banco do Brasil, ocupava atualmente a presidência do conselho de administração da bolsa de São Paulo.

A Petrobras enfrenta tempos difíceis, depois de ter fechado 2015 com um prejuízo de 8,6 mil milhões de euros, o seu pior desempenho de sempre.

A petrolífera está ainda no centro do maior caso de corrupção da história do Brasil, conhecido como Lava Jato, e que envolve várias outras empresas públicas e dezenas de políticos.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão