sicnot

Perfil

Mundo

Imposto recolher obrigatório no Iraque após apoiantes xiita forçarem entrada no Governo

Milhares de apoiantes do clérigo xiita iraquiano Moqtada al-Sadr voltaram hoje a forçar a entrada na "zona verde" de alta segurança em Bagdad, conseguindo entrar no edifício sede do Governo, segundo um fotojornalista da AFP no local. Após os acontecimentos que feriram dezenas de pessoas, os militares iraquianos impuseram um recolher obrigatório.

© Khalid Al Mousily / Reuters

Os manifestantes começaram por juntar-se na praça Tahrir, no centro de Bagdad, e removeram o arame farpado de uma das principais pontes sobre o rio Tigre, concentrando-se no exterior da "zona verde", onde se situam as sedes do Governo e do Parlamento e embaixadas de países ocidentais.

Os apoiantes de Sadr, que protestam há meses para exigir reformas e medidas contra a corrupção, conseguiram passar um dos portões da "zona verde", mas foram travados por um grande dispositivo das forças de segurança, que os repeliu com gás lacrimogéneo, granadas de atordoamento e canhões de água.

Ao fim de algum tempo, no entanto, conseguiram avançar na direção da sede do governo e entrar no edifício, segundo o jornalista da agência AFP, que viu vários manifestantes com ferimentos ligeiros.

No mês passado, os apoiantes de Sadr conseguiram retirar partes dos muros que rodeiam a "zona verde" e entrar no principal edifício do Parlamento.

Com Lusa

  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.