sicnot

Perfil

Mundo

Avião solar partiu dos EUA para mais uma etapa de volta ao mundo

O avião Solar Impulse II, movido exclusivamente a energia solar, partiu na madrugada de hoje em mais uma etapa da sua volta ao mundo, desta vez ligando cidades norte-americanas numa viagem de cerca de 1.200 quilómetros e 18 horas.

Noah Berger

O avião deixou o aeroporto internacional de Tulsa, no estado norte-americano de Oklahoma, pelas 04:22 hora local (08:22 em Lisboa) e está previsto que aterre em Dayton (no estado de Ohio) às 11:00 locais (02:00 em Lisboa).

Na página do projeto na internet é possível assistir à viagem e segui-la minuto a minuto com comentários e fotografias da equipa, bem como ter mais informação sobre o projeto e as rotas definidas.

"A caminho de Dayton. Dezoito horas sem uma gota de combustível. E diziam que seria impossível...", escreveu nas redes sociais o piloto suíço André Borschberg, um dos criadores do projeto.

Antes de chegar a Tulsa, o Solar Impulse II completou já 10 etapas da volta ao mundo: de Abu Dhabi (nos Emirados Árabes Unidos), a Muscat (Omã), a Ahmedabat e a Varanasi (ambas na Índia), a Mandalay (Myanmar), a Chongqing e a Nanjing (ambas na China), a Nagoya (Japão), percorreu o oceano Pacífico até ao Havai, chegou a São Francisco (Califórnia, Estados Unidos), parando ainda em Phoenix (Arizona).

Depois de chegar a Dayton na madrugada de domingo, o avião solar deverá continuar a sua viagem até Nova Iorque, estando previsto que atravesse o oceano Atlântico em direção ao continente europeu, partido depois para o norte de África e terminando em Abu Dhabi, onde começou esta volta ao mundo, em março de 2015.

Este projeto - liderado por dois pilotos suíços, Bertrand Piccard e André Borschberg - pretende consciencializar e convencer os diferentes líderes políticos da necessidade de implementar soluções tecnológicas que permitam preservar o meio ambiente.

Lusa

  • Avião solar Impulse II conclui nova etapa
    0:25

    Mundo

    O avião solar Impulse II, movido a energia solar, concluiu uma nova etapa. O avião completou a ligação entre São Francisco, na Califórnia, e o Arizona, nos Estados Unidos da América. Foi a 10ª etapa do avião, que faz viagens sem combustível. O projeto pretende demonstrar as potencialidades das energias renováveis. Andre Borschberg é o piloto.

  • Solar Impulse 2 cruza Pacífico
    0:34

    Mundo

    O avião Solar Impulse 2 chegou à Califórnia depois de atravessar o Oceano Pacífico. Está cumprida a etapa mais perigosa da volta ao mundo da primeira aeronave movida apenas a energia solar. Depois de uma viagem de três dias desde o Havai o aparelho aterrou no sul de São Francisco. Vai agora prosseguir para Nova Iorque, de onde segue para a Europa, norte de África e Emirados Árabes Unidos. O projeto pretende demonstrar as potencialidades das energias renováveis.

  • Solar Impulse 2 completa viagem de volta ao mundo

    Mundo

    O avião experimental movido a energia solar Solar Impulse 2 completou hoje a sua viagem recorde de volta ao globo sem consumir uma gota de combustível, aproveitando a melhoria das condições meteorológicas para descolar do Hawai.

  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.