sicnot

Perfil

Mundo

Áustria vai hoje a votos para eleger novo Presidente

As assembleias de voto abriram hoje na Áustria pelas 07:00 horas (06:00 em Lisboa) com dois candidatos que disputam a presidência, um ecologista e outro de ultradireita, a protagonizar as eleições mais disputadas nos últimos 70 anos.

Norbert Hofer, candidato da extrema-direita e vencedor da primeira volta, terá alcançado 50,2% dos votos

Norbert Hofer, candidato da extrema-direita e vencedor da primeira volta, terá alcançado 50,2% dos votos

© Heinz-Peter Bader / Reuters

Cerca de 6,4 milhões de cidadãos maiores de 16 anos são chamados às urnas para eleger o novo chefe de Estado austríaco da Segunda República, fundada em 1945.

As urnas encerram às 16:00 (hora de Lisboa) e espera-se que os primeiros resultados provisórios sejam anunciados pouco tempo depois.

Norbert Hofer, de 45 anos, candidato do eurocético Partido Liberal (FPÖ), parte em vantagem devido à clara e inesperada vitória na primeira volta, no passado 24 de abril, com 35% dos votos.

O segundo candidato é Alexander Van der Bellen, um economista de 72 anos que entre 1997 e 2008 liderou o partido ecologista e progressista Os Verdes, e que agora concorre como independente.

Tal como em Portugal, o Presidente austríaco tem poderes relativamente limitados. Na Áustria, o poder executivo está nas mãos dos governos e parlamentos central e das regiões. No entanto, o Presidente pode, em determinadas circunstâncias, demitir o governo -- coisa que Hofer já prometeu fazer se for eleito.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15