sicnot

Perfil

Mundo

Paquistão protesta por ataque com drone que matou líder dos talibãs afegãos

O Paquistão considerou hoje que o ataque com um drone que matou o líder dos talibãs afegãos foi uma violação do seu espaço aéreo e reafirmou que a paz no Afeganistão só pode ser alcançada através de negociações.

Akhtar Mansur, antigo líder dos talibãs.

Akhtar Mansur, antigo líder dos talibãs.

(SIC/ Arquivo)

O ataque, com um drone norte-americano, ocorreu no sábado de manhã numa zona remota do Paquistão e, segundo Washington, Cabul e os talibãs afegãos, matou o mullah Akhtar Mansur e um combatente talibã afegão.

Num comunicado divulgado hoje à noite em Islamabad, o Ministério dos Negócios Estrangeiros paquistanês afirma que uma das vítimas do ataque norte-americano é um motorista chamado Muhammad Azam e a outra está ainda por identificar.

A operação com o avião não-tripulado constitui "uma violação da soberania do Paquistão, uma questão que já foi evocada com os Estados Unidos no passado", lê-se no comunicado.

"O primeiro-ministro e o chefe do Estado Maior foram informados depois de o ataque ocorrer", acrescenta o texto, confirmando informações anteriores dos Estados Unidos, que disseram ter notificado o Paquistão e o Afeganistão "pouco depois do ataque".

O Ministério paquistanês evocou por outro lado uma reunião internacional para relançar o processo de paz afegão realizada na quarta-feira passada, na qual Afeganistão, Paquistão, Estados Unidos e China concordaram que "um acordo negociado é a única opção viável para uma paz duradoura no Afeganistão".

Lusa

  • Cabul confirma morte do líder dos talibãs afegãos no Paquistão
    1:29

    Mundo

    Os serviços secretos afegãos confirmaram hoje que o mullah Akhtar Mansur, chefe dos talibãs afegãos, foi morto num ataque aéreo com drones das forças norte-americanas no Paquistão. O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, afirmou que o mullah Akhtar Mansur foi alvo de um ataque aéreo norte-americano porque representava uma "ameaça" para as forças norte-americanas e afegãs e para os civis afegãos.

  • Apoiar o Governo "é um dever constitucional"
    0:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que apoiar o Governo é um dever constitucional do Presidente da República. Num balanço do primeiro ano em Belém, Marcelo respondeu assim a quem o acusa de andar com o Governo "ao colo".

  • Brexit só avança com aprovação parlamentar
    3:04

    Brexit

    O Supremo Tribunal britânico decidiu que o Governo precisa de ter a aprovação do Parlamento para avançar com o Brexit. A decisão foi validada por uma maioria de oito contra três juízes e justificada esta terça-feira pelo Supremo britânico. Por consequência, a libra esterlina atingiu a cotação mais alta do ano em relação ao dólar.

  • Primeira-ministra da Escócia apela ao voto contra a saída da UE
    2:25

    Brexit

    Depois da decisão do Supremo Tribunal britânico em relação ao Brexit, a primeira-ministra da Escócia veio pedir aos deputados que votem contra a saída da União Europeia. Nicola Sturgeon vai apresentar uma moção no Parlamento escocês para que este se pronuncie sobre o Brexit.

  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.

  • As propostas Chanel para a próxima estação
    1:34

    Mundo

    Um dos desfiles mais aguardados do mundo da moda aconteceu esta segunda-feira, em Paris, com as propostas da casa Chanel para a próxima estação primavera/verão. No final do desfile, e pela primeira vez em 30 anos, Karl Lagarfeld não deu nenhuma entrevista à comunicação social.