sicnot

Perfil

Mundo

Disparados tiros contra sede do Partido Socialista francês em Grenoble

A sede do Partido Socialista francês na cidade de Grenoble foi alvo de disparos na madrugada de hoje, quando estava vazia, uma ação ainda em investigação que pode estar relacionada com a contestação social ao governo socialista.

reuters

Os escritórios do partido em Grenoble (sudeste), localizados no rés-do-chão de um edifício de habitação de cinco andares, foram atingidos por cinco balas, segundo um comunicado do Ministério do Interior, cujo titular, Bernard Cazeneuve, condenou o ataque "com a maior firmeza".

Habitantes da zona relataram ter ouvido rajadas com vários minutos de intervalo entre si pouco antes da 01:00 local (00:00 em Lisboa), segundo o jornal Le Dauphiné Liberé.

O ataque não foi reivindicado até ao momento.

A justiça abriu um inquérito por danos voluntários com arma de fogo.

Várias sedes locais do partido socialista francês têm sido alvo de vandalismo nas últimas semanas, mas esta é a primeira vez que são utilizadas armas de fogo.

Bernard Cazeneuve afirmou que as autoridades estão a fazer todos os esforços "para deter rapidamente os autores" do ataque e sublinhou que ataques contra sedes políticas "são, na sua essência, incompatíveis com o exercício do pluralismo e da diversidade de opiniões garantidos pelo Estado de Direito".

"Estes atos, de particular gravidade, constituem um atentado insuportável à vida democrática do país", acrescentou.

França assiste desde o princípio de abril a uma forte contestação social, com manifestações e greves, devido à reforma da lei laboral proposta pelo governo de François Hollande.

A reforma visa tornar o mercado laboral mais flexível, mas os sindicatos e associações estudantis na origem dos protestos consideram que ela vai conduzir à eliminação de direitos e à desproteção dos trabalhadores

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".