sicnot

Perfil

Mundo

Equador avança com demolição de 390 estruturas devido a sismo

Um total de 390 estruturas foram demolidas na cidade de Pedernales, província equatoriana de Manabí, uma das mais afetadas pelo sismo de magnitude 7,8 do passado dia 16 de abril, informou o Ministério do Interior.

Equador avança com demolição de 390 estruturas devido a sismo

Equador avança com demolição de 390 estruturas devido a sismo

© Guillermo Granja / Reuters

"Em Pedernales demoliram-se 390 estruturas que representavam risco para a população. Setenta e três metros cúbicos de escombros estão a ser removidos", assinalou o Ministério na sua conta de Twitter.

O sismo de abril, um dos mais fortes na história do país, causou 663 mortos e milhares de edifícios danificados.

Segundo o Instituto Geofísico, até ao momento registaram-se mais de 1.600 réplicas do sismo de abril, e as da passada quarta-feira, com mais de seis graus, foram as mais fortes até agora.

  • Morreu Miguel Beleza, antigo ministro das Finanças e governador do BdP
    1:34
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.