sicnot

Perfil

Mundo

Grécia vai acelerar evacuação do campo de Idomeni

A Grécia vai acelerar a evacuação do campo de Idomeni, onde milhares de migrantes vivem sem condições desde o encerramento da rota dos Balcãs, mas não tenciona recorrer à força, afirmou hoje fonte governamental à agência AFP

reuters

"Nos últimos 15 dias transferimos mais de 2.000 pessoas do campo", próximo da fronteira com a Macedónia, onde estão recenseadas 8.400 pessoas, disse a fonte.

"Agora, terça ou quarta-feira, vamos fazer uma operação de transferência mais ampla, uma vez que temos 6.000 lugares disponíveis em centros de acolhimento" na região, acrescentou.

"Haverá uma presença policial, e seremos persuasivos, mas não está previsto o uso da força para obrigar as pessoas a partir", disse.

Outra fonte governamental citada pela mesma agência disse que, a partir de hoje, os altifalantes do campo estão a difundir uma mensagem aconselhando os migrantes a prepararem-se para partir.

A operação de transferência "será gradual", como ocorreu no porto de Pireu, de onde, desde o final de abril, 4.000 migrantes foram transferidos para centros de acolhimento, precisou a primeira fonte.

No Pireu, que à semelhança de Idomeni é um acampamento improvisado, permanecem, segundo números oficiais, 1.500 pessoas.

Uma fonte policial confirmou que está a ser preparada uma operação em Idomeni, com o envio de reforços policiais, mas recusou confirmar se ela se vai realizar na terça-feira.

O envio de reforços, precisou, visa "prevenir reações de uma minoria de migrantes que possa reagir negativamente".

"A maioria dos migrantes não levanta dificuldades para partir [...], mas foram tomadas medidas suplementares para evitar surpresas", disse.

A fonte policial acrescentou que a transferência de cerca de 2.000 pessoas realizada nas últimas duas semanas decorreu com tranquilidade.

Milhares de migrantes, muitos deles crianças, vivem em condições miseráveis no campo de Idomeni desde que, no início de março, a Macedónia encerrou a sua fronteira com a Grécia, cortando a rota dos Balcãs, utilizada desde 2015 por centenas de milhares de pessoas para chegar aos países da Europa do norte.

  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16