sicnot

Perfil

Mundo

Papa e líder islâmico sunita dialogam sobre a rejeição do terrorismo

O Papa Francisco reuniu-se hoje na Cidade do Vaticano com Ahmed Al Tayeb, o imã da universidade islâmica do Cairo Al Azhar, para abordar o compromisso das autoridades e fiéis das grandes religiões na "rejeição da violência e do terrorismo".

Reuters

O Papa Francisco saudou com um abraço o imã deste importante centro sunita e considerou que "o encontro é a mensagem", após vários anos de interrupção de relações.

Em comunicado, o Vaticano referiu-se a uma reunião "muito cordial" de 30 minutos na qual os dois líderes destacaram o "grande significado deste novo encontro no marco do diálogo entre a igreja católica e o islão".

O "compromisso das autoridades e dos fiéis das grandes religiões para conseguir a paz no mundo, rejeitar a violência e o terrorismo e a situação dos cristãos no contexto dos conflitos e as tensões no Médio Oriente a sua proteção" foram outros temas abordados.

O encontro de hoje é um novo gesto histórico no pontificado de Francisco, pelo facto de Al Azhar, centro islâmico de referência para os sunitas, ter decidido suspender o diálogo com o Vaticano em 2011.

As relações foram interrompidas em protesto pelas declarações do papa Bento XVI sobre a necessidade de proteger os cristãos do Egito e Médio Oriente, pronunciadas após o ataque à catedral copta em Alexandria e que já eram difíceis depois do discurso de Ratzinger sobre o islão, ocorrido em 2006 na universidade de Ratisbona.

Al Azhar é o centro de estudos e jurisprudência islâmico de referência para os sunitas, e até à sua sede egípcia chegam muitos muçulmanos de todo o mundo para estudar o Corão e os ensinamentos do profeta Maomé.

Em fevereiro, representantes da Santa Sé visitaram esta instituição egípcia, a mais prestigiada do islão sunita, para convidar o grande imã a encontrar-se com o Papa Francisco no Vaticano.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira