sicnot

Perfil

Mundo

Papa e líder islâmico sunita dialogam sobre a rejeição do terrorismo

O Papa Francisco reuniu-se hoje na Cidade do Vaticano com Ahmed Al Tayeb, o imã da universidade islâmica do Cairo Al Azhar, para abordar o compromisso das autoridades e fiéis das grandes religiões na "rejeição da violência e do terrorismo".

Reuters

O Papa Francisco saudou com um abraço o imã deste importante centro sunita e considerou que "o encontro é a mensagem", após vários anos de interrupção de relações.

Em comunicado, o Vaticano referiu-se a uma reunião "muito cordial" de 30 minutos na qual os dois líderes destacaram o "grande significado deste novo encontro no marco do diálogo entre a igreja católica e o islão".

O "compromisso das autoridades e dos fiéis das grandes religiões para conseguir a paz no mundo, rejeitar a violência e o terrorismo e a situação dos cristãos no contexto dos conflitos e as tensões no Médio Oriente a sua proteção" foram outros temas abordados.

O encontro de hoje é um novo gesto histórico no pontificado de Francisco, pelo facto de Al Azhar, centro islâmico de referência para os sunitas, ter decidido suspender o diálogo com o Vaticano em 2011.

As relações foram interrompidas em protesto pelas declarações do papa Bento XVI sobre a necessidade de proteger os cristãos do Egito e Médio Oriente, pronunciadas após o ataque à catedral copta em Alexandria e que já eram difíceis depois do discurso de Ratzinger sobre o islão, ocorrido em 2006 na universidade de Ratisbona.

Al Azhar é o centro de estudos e jurisprudência islâmico de referência para os sunitas, e até à sua sede egípcia chegam muitos muçulmanos de todo o mundo para estudar o Corão e os ensinamentos do profeta Maomé.

Em fevereiro, representantes da Santa Sé visitaram esta instituição egípcia, a mais prestigiada do islão sunita, para convidar o grande imã a encontrar-se com o Papa Francisco no Vaticano.

  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.

  • Regras secretas do Facebook permitem divulgação de imagens violentas

    Mundo

    A política interna da empresa Facebook defende que nem todos os vídeos violentos publicados na rede social devem ser apagados porque "não quer censurar ou punir pessoas em perigo". A revelação é feita pelo jornal britânico The Guardian após uma investigação em que conseguiu ter acesso ao manual interno.