sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 17 mortos num incêndio em escola na Tailândia

Pelo menos 17 meninas morreram enquanto dormiam devido a um incêndio que atingiu o dormitório da sua escola no norte da Tailândia, informou hoje o comandante da polícia, acrescentando que várias jovens ficaram feridas ou estão desaparecidas.

Incêndio em escola mata pelo menos 17 meninas na Tailândia

Incêndio em escola mata pelo menos 17 meninas na Tailândia

"O incêndio começou às 23:00 de domingo (17:00 em Lisboa). Dezassete meninas morreram e duas estão desaparecidas, além de cinco feridas", disse à AFP Prayad Singsin, comandante da polícia de Vingpatao, em Chiang Rai.

A escola acolhe meninas com idades entre os três e os 13 anos, informou.

Um segundo polícia da mesma esquadra indicou que a escola recebe alunas de localidades empobrecidas das zonas montanhosa.

"O fogo foi apagado, mas as suas causas ainda estão sob investigação", disse Prayad, indicando que especialistas forenses vão hoje deslocar-se ao local.

Fotografias publicadas na página de Facebook da escola mostram os bombeiros com dificuldade em combater as chamas que envolvem o edifício de dois andares.

As comunidades tribais das montanhas não têm muitas vezes acesso aos recursos estatais, sendo prejudicadas ao nível do ensino e da saúde.

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.