sicnot

Perfil

Mundo

Primeira Cimeira Humanitária reúne em Istambul 50 líderes mundiais

A cidade turca de Istambul recebe hoje e terça-feira a primeira Cimeira Humanitária Mundial, uma iniciativa da ONU sobre os principais desafios mundiais e resposta às crises, com a presença confirmada do primeiro-ministro António Costa.

Primeira Cimeira Humanitária reúne em Istambul 50 líderes mundiais

Primeira Cimeira Humanitária reúne em Istambul 50 líderes mundiais

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Mais de 50 líderes mundiais dos quatro continentes e 5.000 intervenientes estão presentes na Cimeira Humanitária Mundial (WHS, a sigla em inglês), designadamente a chanceler alemã Angela Merkel, que deverá manter um primeiro contacto com o novo primeiro-ministro turco Binali Yildirim.

O principal programa da cimeira inclui sete mesas-redondas temáticas, com a previsível participação de responsáveis mundiais, baseadas num relatório do secretário-geral da ONU sobre o atual "estado do mundo", enquanto numa sessão plenária vão ser apresentadas as linhas de ação e os compromissos concretos comuns com o objetivo de garantir a Agenda para a Humanidade 2030, e outros objetivos delineados.

Assim, as mesas-redondas de alto nível entre os dirigentes políticos presentes na WHS -- onde também participam representantes da sociedade civil e do setor empresarial -- vão abordar temas tão diversos como a prevenção e fim de conflitos, respeito pelas leis da guerra, nova abordagem às crises de refugiados e deslocados, ações catalisadoras para garantir a igualdade de género, a resposta aos desastres naturais e alterações climáticas, as formas de "mudar a vida das pessoas" e os meios de promover um "investimento humanitário" sustentado e previsível.

Nesta primeira Cimeira humanitária está previsto o lançamento do "Grande Pacto", uma proposta das Nações Unidas sobre ajuda humanitária e incluída no relatório de janeiro entregue ao secretário-geral, Ban Ki-moon: "Demasiado importante para falhar: abordar as necessidades do financiamento da ajuda humanitária".

A União Europeia (UE) já anunciou que vai apelar no decurso da cimeira à criação de uma parceria global destinada a melhorar a eficácia do sistema de ajuda humanitária.

O programa deste primeiro conclave humanitário mundial prevê ainda a realização de 15 sessões especiais que abrangem desde os desafios da educação à proteção de jornalistas, e com o objetivo de desencadear iniciativas estratégicas.

Entre os contactos bilaterais à margem do conclave, está ainda confirmado para hoje um encontro entre o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras.

Lusa

  • PS e BE não propõem alívio da dívida à UE
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à União europeia e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta dos partidos para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido qualquer perdão de dívida, ao contrário do que os partidos mais à esquerda chegaram a defender.

  • Antigos ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo MP
    1:54

    Operação Marquês

    Quatro antigos ministros de Governos de José Sócrates foram ouvidos recentemente pelo Ministério Público (MP), no âmbito da Operação Marquês. Mário Lino, António Mendonça, Teixeira dos Santos e Luís Campos e Cunha foram ouvidos como testemunhas. Os investigadores chamaram os antigos governantes para esclarecer decisões relacionadas com a PT.

    Notícia SIC

  • Suspeito de atropelamento mortal diz que foi mero acidente 
    2:00
  • Confrontos na primeira greve geral no Brasil em 21 anos
    1:34
  • "Está na altura de pressionarmos a Coreia do Norte"
    0:45

    Mundo

    O secretário de estado norte-americano, Rex Tillerson, afirmou esta sexta-feira na ONU que a ameaça da Coreia do Norte é real e pediu que o conselho de segurança da ONU tome medidas antes que seja o regime de pyongyang a fazê-lo.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre após a cirurgia

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.