sicnot

Perfil

Mundo

Polícia polaca prende suspeito de ataque bombista

A polícia polaca prendeu hoje um homem suspeito de um ataque bombista, na semana passada, que feriu uma pessoa na cidade sudoeste de Vratislávia.

© Kacper Pempel / Reuters

"É um homem de 22 anos de idade, de nacionalidade polaca, estudante universitário do terceiro ano", informou o chefe da polícia Jaroslaw Szymczyk aos jornalistas.

O suspeito foi preso no apartamento de um parente, acrescentou Szymczyk.

Um dispositivo explosivo foi encontrado na quinta passada, escondido num saco de plástico dentro de um autocarro.

O homem, acusado de plantar a bomba caseira, que se assemelhava a uma panela de pressão embalada com pregos, tinha acabado de descer do autocarro.

O motorista do autocarro, depois de ter sido alertado pelos passageiros para a presença de um pacote suspeito, fez uma paragem de emergência para deixar o pacote.

Pouco tempo depois, o dispositivo explodiu e feriu um indivíduo levemente.

Desde quinta-feira que a polícia tentava encontrar o suspeito, cujo rosto podia ser visto nas imagens do circuito interno gravadas no autocarro, e que desde então tem sido exibido na televisão polaca.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.