sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de crianças trabalham nas plantações de tabaco da Indonésia

As plantações de tabaco na Indonésia, que fornecem centenas de marcas ocidentais, empregam milhares de crianças em condições perigosas para a sua saúde, denunciou hoje a Human Rights Watch em relatório.

Arquivo.

Arquivo.

© Juan Carlos Ulate / Reuters

A lei indonésia interdita o trabalho a menores de 18 anos nas indústrias perigosas.

A organização de defesa dos direitos do homem Human Rights Watch cita dezenas de casos de menores -- alguns com apenas oito anos -- que ficaram doentes depois de terem manuseado folhas de tabaco ou pesticidas sem proteção.

A Indonésia conta com 500.000 plantações de tabaco que alimenta essencialmente o mercado interno. Não obstante, um quarto da produção de tabaco indonésia é exportada, e revendida aos gigantes da indústria tabaqueira, disse à AFP, Jo Becker, da HRW.

"Um fumador que aceda um Dunhill, um Lucky Strike ou outro cigarro na Europa ou nos Estados Unidos poderá estar a fumar um cigarro fabricado na Indonésia graças ao trabalho infantil".

Nenhum das multinacionais de tabaco que operam na Indonésia tem uma política "suficiente para garantir que as crianças estão protegidas", acusa a HRW no relatório de 113 páginas.

Lusa

  • Todos os distritos sob Aviso Amarelo devido ao frio

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou Portugal continental sob Aviso Amarelo na quarta e na quinta-feira. Os termómetros vão estar abaixo de zero em todo o território, à exceção dos distritos de Lisboa, Porto e Faro.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.