sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos sete pessoas morreram hoje em Alepo

Pelo menos sete pessoas morreram hoje, entre os quais dois menores de idade, devido a ataques em áreas sob controlo do governo na província de Alepo, segundo a agência noticiosa síria (SANA).

© Hosam Katan / Reuters

Fonte da polícia de Alepo disse que três mulheres morreram devido a 'rockets' "disparados por grupos terroristas" contra o distrito de Ashrafia, em Alepo.

Em Al Jalediya, periferia norte de Alepo, os disparos contra casas mataram uma pessoa e outra morreu no bairro de Salahedin, da mesma localidade, com os disparos de um franco-atirador.

Segundo a SANA, pelo menos dois menores morreram em consequência da queda de 30 'rockets' lançados por "terroristas" contra a população de Nubul e Zahrá, na província de Alepo, controlada pelas forças governamentais.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos divulgou terça-feira que mais de 300 civis morreram em Alepo no mês de maio, dos quais 74 tinham menos de 18 anos.

Nos últimos meses, a cidade de Alepo e subúrbios têm sido palco do aumento da violência, depois de uma trégua supervisionada por Washington e Moscovo a 27 de fevereiro.

A Rússia propôs na sexta-feira aos Estados Unidos e à coligação internacional liderada por Washington o lançamento de ataques aéreos em conjunto a partir de 25 de maio contra "grupos terroristas" ativos na Síria.

A ideia foi rejeitada pelos Estados Unidos.

Lusa

  • NATO retoma diálogo com a Rússia

    Mundo

    O Conselho da NATO - Rússia foi instituído em 2002 e decorreu sem interrupções até à anexação da Crimeia, em 2014. O conflito separatista na Ucrânia dividiu a Aliança Atlântica e Moscovo e suspendeu toda a colaboração prática - desde civil a militar. Agora e na véspera da primeira reunião ministerial em Bruxelas com o estreante secretário de Estado americano Rex Tillerson, os países da NATO tentam a aproximação formal e reativação do diálogo político com Moscovo.

  • O poder da linguagem corporal nos tribunais
    9:12

    País

    Rui Mergulhão Mendes, especialista em 'profiling' na Emotional Business Academy, em Lisboa, esteve na Edição da Noite desta quarta-feira para explicar como é que um especialista em linguagem pode ajudar um tribunal a dar um veredito.