sicnot

Perfil

Mundo

Civis na Síria podem morrer de fome devido a falta de ajuda humanitária

Os civis na Síria vão morrer de fome se Damasco e os grupos rebeldes armados não permitirem maior acesso dos comboios humanitários com alimentos para salvar vidas, disse hoje o enviado especial da ONU para o país.

Síria.

Síria.

Reuters

Há "muitos civis neste momento em perigo de morrer de fome", afirmou Staffan de Mistura aos jornalistas, após uma reunião semanal do grupo de trabalho da ONU para coordenar a entrega de ajuda humanitária na Síria.

"Das cerca de um milhão de pessoas a quem pretendíamos chegar por terra em maio, só conseguimos alcançar 160.000", lamentou Staffan de Mistura.

Os Estados Unidos referiram que mais de 400.000 civis vivem em áreas cercadas na Síria, a maior parte dos quais em zonas controladas pelo regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad.

Além disso, mais de quatro milhões de pessoas vivem nas chamadas áreas de "difícil alcance", segundo a ONU.

O conflito na Síria, com início em março de 2011, já provocou mais de 270 mil mortos e 4,5 milhões de refugiados.

Lusa

  • Maria Cavaco Silva "muito espantada" com caso Raríssimas
    0:56

    País

    Maria Cavaco Silva disse hoje que ficou surpreendida e preocupada com as suspeitas de irregularidades na associação Raríssimas. A ex-primeira dama garante que desconhecia a situação e afirma que Portugal não é "abonado" ao ponto de poder desperdiçar o trabalho feito, lembrando que os utentes não podem sofrer com a polémica.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • "O futuro da Autoeuropa não está em causa"
    0:43

    Economia

    O secretário de Estado do Trabalho apelou a que os partidos não se intrometam nas negociações entre os trabalhadores e a administração da Autoeuropa. Em entrevista à Edição da Noite da SIC Notícias, Miguel Cabrita afastou a hipótese de estar em causa o encerramento da fábrica de Palmela. 

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28