sicnot

Perfil

Mundo

Líderes do G7 visitam um dos principais santuários do Japão

Os líderes do G7 visitaram hoje o santuário xintoísta de Ise, considerado um dos mais sagrados locais do Japão, antes do início da cimeira que dura até sexta-feira.

© POOL New / Reuters

Os responsáveis da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Reino Unido e União Europeia foram recebidos pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, no recinto religioso localizado numa zona montanhosa e de bosques na prefeitura de Mie, no centro do país.

O líder nipónico aguardou a chegada de cada chefe de Governo sob um dos "torii" (arco sagrado) que marca a entrada do espaço, e apertou a mão de todos - o primeiro a chegar foi o Presidente francês, François Hollande, e o último o seu homólogo norte-americano, Barack Obama.

Um a um, guiados por um sacerdote xintoísta vestido de branco, os líderes cruzaram a ponte Uji sobre o rio Isuzu, que, segundo a crença popular, serve de fronteira entre o reino dos deuses e o mundo material.

Obama, ao ser o último a chegar, foi acompanhado por Abe, e foi possível ver os dois conversarem enquanto caminhavam sobre a ponte de madeira de 100 metros, depois da reunião bilateral que mantiveram na quarta-feira.

Os líderes participaram depois no ato simbólico de plantar uma árvore no jardim, atravessaram a pé parte do recinto e visitaram em Kotai o edifício principal onde se presta culto a Amaterasu, deusa do sol, há cerca de dois milénios.

Consciente de que a eleição do santuário poderia despertar críticas do exterior, sobretudo devido ao facto de o xintoísmo ter sido a religião oficial do Japão Imperial, o Governo nipónico esforçou-se por apresentar o ato como uma visita mais ligada à tradição e cultura do Japão do que à religião.

Lusa

  • G7 promete reforçar luta mundial contra financiamento do terrorismo
    0:38

    Mundo

    O G7 promete mais empenho na luta contra o financiamento do terrorismo. A intenção foi anunciada no final do encontro dos ministros das Finanças dos países mais ricos, que decorreu no Japão. Na cimeira de dois dias, os ministros definiram um plano de ação para conter o financiamento das organizações terroristas. A estratégia passa por mais cooperação internacional e por um novo sistema de troca de informações entre os serviços secretos de vários países. Outra das prioridades é o combate à lavagem de dinheiro, tal como explicou Taro Aso, ministro do país anfitrião.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.