sicnot

Perfil

Mundo

Refugiados admitem que não há condições no campo de Idomeni

Refugiados admitem que não há condições no campo de Idomeni

Dezenas de refugiados estão a abandonar de forma independente o campo de Idomeni, no norte da Grécia, junto à fronteira com a Macedónia. Pelo segundo dia consecutivo as autoridades gregas disponibilizam autocarros para a retirada dos cerca de 8 mil residentes no campo, mas muitos preferem fazer-se ao caminho para fugir ao circuito oficial que os levará para outros centros na Grécia. Os refugiados reconhecem que o campo de Idomeni não é opção e que não tem condições para tantas pessoas.

A maioria teme ser recambiada para a Turquia ou mesmo para os países de origem, como a Síria, onde a guerra civil não dá sinais de tréguas.

O plano de evacuação deitou por terra as expectativas de milhares de pessoas que ainda acreditavam na reabertura da rota dos balcãs, mas em vez de seguirem para o norte da Europa estão a ser encaminhados para outros centros de refugiados na Grécia, erguidos nos últimos meses pelos militares e pelas autoridades gregas.

O encerramento da fronteira macedónia deixou encurraladas mais de 54 mil pessoas na Grécia. A principal porta de entrada na Europa para estes migrantes e refugiados do médio oriente.

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".