sicnot

Perfil

Mundo

Refugiados admitem que não há condições no campo de Idomeni

Refugiados admitem que não há condições no campo de Idomeni

Dezenas de refugiados estão a abandonar de forma independente o campo de Idomeni, no norte da Grécia, junto à fronteira com a Macedónia. Pelo segundo dia consecutivo as autoridades gregas disponibilizam autocarros para a retirada dos cerca de 8 mil residentes no campo, mas muitos preferem fazer-se ao caminho para fugir ao circuito oficial que os levará para outros centros na Grécia. Os refugiados reconhecem que o campo de Idomeni não é opção e que não tem condições para tantas pessoas.

A maioria teme ser recambiada para a Turquia ou mesmo para os países de origem, como a Síria, onde a guerra civil não dá sinais de tréguas.

O plano de evacuação deitou por terra as expectativas de milhares de pessoas que ainda acreditavam na reabertura da rota dos balcãs, mas em vez de seguirem para o norte da Europa estão a ser encaminhados para outros centros de refugiados na Grécia, erguidos nos últimos meses pelos militares e pelas autoridades gregas.

O encerramento da fronteira macedónia deixou encurraladas mais de 54 mil pessoas na Grécia. A principal porta de entrada na Europa para estes migrantes e refugiados do médio oriente.

  • "Até para o ano", a mensagem de Ronaldo para os adeptos do Real Madrid
  • Despenalização da eutanásia votada na terça-feira no Parlamento
    2:04
  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28

    Economia

    Com o crescimento do turismo, que continua a bater recordes, as companhias aéreas querem profissionais para reforçar as rotas com maior procura e oferecer novos destinos. Só a TAP prevê contratar mais 700 pessoas este ano para várias funções, incluindo 300 tripulantes de cabine e 170 pilotos.

  • O bombeiro herói que recebe 267 euros de pensão
    2:36
  • Funcionários dos EUA na Coreia do Norte para preparar cimeira
    2:19