sicnot

Perfil

Mundo

A vida secreta da tia de Kim Jong-Un

Uma tia de Kim Jong-Un, líder supremo da Coreia do Norte, vive uma vida aparentemente normal. Trata-se de uma mulher de 60 anos que passeia por Times Square, acompanhada pelo marido como qualquer estrangeiro que tenta viver o "sonho americano" .No entanto, não se trata de uma imigrante qualquer, trata-se nada mais nada menos, do que a tia de Kim Jong Un, o líder norte-coreano que recentemente ameaçou detonar uma bomba de hidrogénio em Nova Iorque. Nos últimos 18 anos, desde que desertou da Coreia do Norte para servir a CIA a troco de 200 mil dólares, tem vivido uma vida anónima nos Estados Unidos, com o marido e os três filhos.

© KCNA KCNA / Reuters

Apesar de viver nos Estados Unidos há quase 20 anos, Ko Yong Suk, só fala o inglês básico.

Segundo o "The Washington Post", Ko Yong Suk e o marido, gerente de uma lavandaria, vivem a escassas horas de Nova Iorque, numa casa de dois andares. Têm dois carros, uma boa televisão e um quintal amplo. As férias são geralmente passadas em Las Vegas.

Ko Yong Suk é irmã de Ko Yong Hui, mãe do atual líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un ,e mesmo não contactando com Kim há cerca de 20 anos, a tia que lhe mudou as fraldas, continua a ser uma fonte de informação bastante fiável para o Governo norte-americano. Ko Yong Suk diz que por vezes recebe visitas de agentes dos serviços secretos que lhes levam fotografias de cidadãos da Coreia do Norte para identificar.

O casal desertou para os Estados Unidos depois de, em 1998, ter descoberto que a irmã de Ko Yong Suk sofria de cancro. Mas há quem diga que o verdadeiro motivo para o abandono do país foi o receio de perder privilégios, já que a única ligação que tinham com o regime coreano estava em risco, devido à doença da mãe de Kim, mulher do então líder do país.

A tia de Kim Jong-Un diz ter saudades da Coreia do Norte, mas confessa que não quer voltar. Por outro lado, o marido Ri Gang, sonha com um regresso à terra-natal, uma vez que ainda é simpatizante das políticas da Coreia da Norte.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.