sicnot

Perfil

Mundo

China envia sonda à Lua para recolher amostras

A China vai enviar uma sonda à Lua a fim de recolher e trazer de volta amostras, numa missão agendada para a segunda metade de 2017, anunciou hoje a agência espacial chinesa, citada pelos meios oficiais.

Chang'e 3 aterrou na Lua em 2013.

Chang'e 3 aterrou na Lua em 2013.

© China Stringer Network / Reut

A missão, que estará a cargo da sonda Chang'e 5, beneficiará de experiências passadas com outros veículos que efetuaram missões na Lua.

A Chang'e 1 realizou um voo orbital em 2007 enquanto em 2013 a China conseguiu fazer aterrar Chang'e 3 na Lua, uma proeza só realizada até então pela Rússia e pelos Estados Unidos da América.

A Administração Estatal para a Ciência, Tecnologia e Industria da Defesa Nacional prepara ainda o envio da Chang'e 4, cujo lançamento está previsto para 2018 e será a primeira sonda a aterrar no lado mais afastado da Lua - o "lado oculto".

Para a segunda metade deste ano está ainda previsto o lançamento de uma nova missão tripulada ao espaço, a primeira desde 2013.

Em 2020, a China prevê enviar para Marte uma sonda com um veículo explorador.

Lusa

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC