sicnot

Perfil

Mundo

Justiça espanhola reabre inquérito ao acidente ferroviário que matou 80 pessoas em 2013

A justiça espanhola reabriu o inquérito ao acidente ferroviário que matou 80 pessoas na Galiza, em 2013. As autoridades querem apurar se a empresa pública que gere a rede ferroviária tem também responsabilidades no acidente. O inquérito inicial ficou concluído em outubro do ano passado e acabou com o maquinista do comboio acusado de homicidio por negligência grave.

© Miguel Vidal / Reuters

Em julho de 2013, o comboio que fazia a ligação entre Madrid e Santiago de Compostela descarrilou pouco antes de chegar ao terminal.

O maquinista distraiu-se a falar ao telefone e abordou uma curva a 179 quilómetros por hora quando o limite para aquela zona era de 80.

Do acidente resultaram 80 mortos e 144 feridos. As associações de vitimas consideram que o maquinista não deve ser o único culpado do acidente e responsabilizam a empresa gestora da ferrovia também de negligência por não ter instalado sistemas que prevenissem o descarrilamento.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.