sicnot

Perfil

Mundo

Protestos a favor e contra a visita de Obama a Hiroshima

Protestos a favor e contra a visita de Obama a Hiroshima

Barack Obama faz hoje uma visita histórica a Hiroxima, no Japão. É o primeiro presidente dos EUA em exercício a visitar a cidade depois do lançamento da bomba atómica. A visita serve para honrar os que perderam a vida na II Guerra Mundial e está a ser alvo de protestos, a favor e contra.

As manifestações concentraram-se no Parque Memorial da Paz de Hiroshima, onde fica a Cúpula da Bomba Atómica, símbolo máximo do bombardeamento que matou pelo menos 140 mil pessoas há mais de 70 anos.

Os vários protestos, alguns separados por metros de distância, acontecem horas antes de Barack Obama chegar à cidade bombardeada plos Estados Unidos em 1945.

Segundo a agência de notícias japonesa pelo menos três sobreviventes deverão encontrar-se com o presidente dos EUA, na cerimónia onde Barack Obama deverá fazer um pequeno discurso e depositar uma coroa de flores no memorial às vítimas da primeira bomba atómica, lançada pelos EUA no Japão.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.